DM Autos

Andamos na Nissan Frontier LE 4x4 biturbo automática

Versão topo de linha oferece itens inéditos e exclusivos no segmento.

diario da manha

Andamos na Nissan Frontier LE 4×4. O modelo da nova geração, que vinha do México e ganhou nacionalidade argentina, já colhe bons resultados no mercado. A picape melhorou significativamente seu conceito e faz o consumidor voltar os olhos para uma nova opção entre as picapes médias.

A nova Frontier escreve uma história nova no mercado e deixa de ser apenas uma figurante em um segmento forte para tornar-se uma competidora de respeito.

Os números inéditos mostram o quanto a Nissan Frontier avança sobre as poderosas Chevrolet S10, Toyota Hilux e Ford Ranger. O modelo 2020, por exemplo, registrou no acumulado deste ano sua melhor participação em sete anos. Foram 7,4% do total de picapes médias vendidas no período, registrando, assim, seu melhor percentual desde 2013.

Esse crescimento, aliás, aconteceu em todas as regiões do País e se deu mesmo diante de um cenário desafiador para a venda de veículos novos.

Mudanças

A linha 2020 da Nissan Frontier chegou às concessionárias exibindo mudanças pontuais, com novas opções de grafismos, rodas e protetor de caçamba.

As configurações S, Attack e XE receberam novas rodas, enquanto a LE passou a ter protetor de caçamba, molduras laterais e adesivos 4×4 colados na traseira. Todas as Frontier 2020 ganharam o sistema de pagamento automático “Sem Parar”.

Dirigindo a picape é que a gente tem as melhores conclusões sobre o seu crescimento no mercado. Só assim é possível entender melhor a mudança de comportamento do consumidor, cada vez mais interessado em uma picape que reúna modernidade, conforto e robustez.

Afinal, picape nos dias de hoje para o campo, onde realiza trabalhos mais duros e é comum sua utilização como veículo de passeio na cidade.

 A Nissan Frontier da nova geração veio para oxigenar a vida da picape da fabricante japonesa. Deixou de ser produzida no Mexico e agora vem de Córdoba, na Argentina. Acabamos de avaliar a versão topo de linha, a LE.

Versões

Além da LE, a Frontier chega ao Brasil nas versões de entrada S, com câmbio manual de seis marchas, destinada ao trabalho, e as intermediárias Attack, que retornou à linha no ano passado, e a XE, automáticas de sete marchas. Todas as versões têm sistema de tração 4×4.

A motorização que equipa a linha é o 2.3 16V, de 45,9 kgfm de toque. A diferença está na potência e nas turbinas. Na versão S o motor 2.3 rende 160 cv e é dotado de apenas uma turbina. Nas demais, esse mesmo propulsor oferece 190 cv e utiliza duas turbinas.

O desempenho do motor com 190 cavalos impressiona com uma força incrível e uma aceleração que passa aperto em muitos carros de passeio mais potentes.

Renovada

A renovação pela qual passou a Nissan Frontier com sua nova geração representa uma mudança de rumo e aceitação do modelo no mercado brasileiro. Logo no primeiro olhar é possível perceber uma picape bem mais bonita e a robustez se destaca nas suas linhas.

Outro ponto que faz a diferença não está no visual, mas sob o capô. Quem compra uma picape média está de olho também em economia. Com a Frontier é possível rodar mais de 800 km com um tanque.

Direção

Ao assumir o volante da Nissan Frontier é que se tira o melhor da picape. O visual acompanha, mas agora entram em cena o conforto, a boa direção, os itens que são inéditos e exclusivos da Frontier e as tecnologias embarcadas.

Da picape anterior vieram o nome e o DNA de força da marca. Aperte o cinto, dê partida e depois é só pisar no acelerador para sentir o quanto realmente a Frontier melhorou no aspecto de dirigibilidade.

A nova Frontier é reflexo de como a Nissan está enxergando o mercado das picapes. Sua produção na Argentina pode até melhorar muito na estratégia comercial da marca em razão da proximidade da atual linha de produção com o Brasil. A Frontier precisava mesmo de se tornar uma picape com referência forte entre as concorrentes. E conseguiu com o modelo da nova geração e agora se fortalece mais ainda com sua produção na Argentina.

Andamos na Nissan Frontier LE 4×4 biturbo que traz equipamentos inéditos e exclusivos no segmento

A versão LE avaliada pelo DMAutos traz equipamentos inéditos e exclusivos no segmento, como o teto solar e a Visão 360º, com imagem integrada ao display do rádio. Dois itens que chamam a atenção na linha e que só a Frontier oferece.

Os bancos “Gravidade Zero”, inspirados na tecnologia desenvolvida pela NASA para eliminar a fadiga e melhorar o conforto para o condutor, entram também na lista dos destaque.

Além desses equipamentos, a Frontier LE está equipada também com controles de tração e estabilidade (VDC – Vehicle Dinamic Control), freios ABS com controle eletrônico de frenagem (EBD) e assistência de frenagem (BA); controles automático de descida (HDC) e auxílio de partida em rampa (HSA), luz de freio de LED (CHMSL), luzes diurnas (DRL), Sistema “Sem Parar”, Detector Inteligente de Objetos em Movimento;  sistema Isofix e seis airbags.

A picape dispõe ainda de bloqueio de diferencial traseiro, controle inteligente de descida (HDC), sistema de partida em rampa (HSA) e tração integral temporária, com 4×4 acionado a até 100 km/h. A capacidade de reboque é de 3,5 toneladas.

Todas as versões são equipadas com a suspensão traseira com sistema multilink que trabalha em conjunto com um eixo rígido. As molas helicoidais de duplo estágio receberam uma nova calibração para permitir a adoção das novas rodas aro 18 calçadas em pneus Bridgestone (para as versões XE e LE).

Já na suspensão dianteira, o sistema recebeu molas maiores visando melhorar a performance dinâmica e dar mais estabilidade e respostas mais rápidas na direção.

Equipamentos

A versão LE 4×4 conta ainda com ar-condicionado bizona, bancos de couro, regulagens elétricas para o banco do motorista, faróis de LED, start-stop, chave presencial e rodas aro 18. São seis airbags (frontais para o motorista e passageiro, laterais e de cortina) 

Outra novidade em tecnologia oferecida pela picape é a introdução do sistema multimídia A-IVI. Com tela de oito polegadas, inclui os aplicativos Android Auto e CarPlay, assistência de voz e atualizações de software e do aplicativo do GPS via Wi-Fi (“Over The Air”). Permite também a conexão simultânea de equipamentos e telefones celulares.

Inédita no segmento, a navegação “porta-a-porta” é outra atração. Com ela, antes de se dirigir para onde a picape está estacionada, basta colocar o destino no aplicativo “Door-To-Door Navigation”. O aplicativo está disponível sem custos na Play Store e no iTunes e deve estar instalado no smartphone do proprietário.

Painel em TFT

Além de ajudar na localização da picape em um estacionamento grande, por exemplo, ao ligar o rádio, a rota para o destino é automaticamente transferida para a tela do multimídia. O painel de instrumentos em TFT também recebe aperfeiçoamentos. Ele ganha novas opções de telas informativas: velocímetro digital, temperatura externa e bússola digital.

A Frontier com motor de 190 cv acelera  de 0 a 100 km/h em pouco mais de 10 segundos. O consumo na cidade bateu na casa dos 9,4 km/l de diesel na cidade e de 10,9 km/l na estrada. O tanque tem capacidade para 80 litros e, com o consumo registrado na estrada, é possível rodar mais de 800 km.

No chão, a Frontier deu conta do recado sem causar incômodos de barulho ou solavancos rodando na estrada de chão. O vão livre do solo, de 241 mm, ajudou na transposição de valetas pelo caminho. É bastante espaçosa e sua direção permite o conforto de um carro de passeio.

Preços

Os preços da linha 2020 da Nissan Frontier partem de R$ 140.900 na versão de entrada S, manual. As intermediárias Attack  e XE custam R$ 155.590 e R$ 174.380, respectivamente. Já a mais completa, a LE, é vendida por R$ 197.990.

Comentários