DM Autos

Ducati Panigale Superleggera V4 é vendida no Brasil por R$ 700 mil

Modelo esportivo de alto desempenho e tecnologia terá apenas 500 unidades no mundo.

diario da manha

A nova Ducati Panigale Superleggera V4 já está em produção e parte agora para testes finais de verificação de qualidade. O novo modelo já pode ser encomendado Brasil. Os interessados vão ter que desembolsar R$ 700 mil para ter essa moto exclusiva na sua garagem.

OBS: o preço de R$ 700 mil corresponde ao câmbio de fevereiro. Portanto, em razão da alta do dólar esse valor sofrerá alteração.

A nova Superleggera V4 esportiva é a motocicleta em produção mais avançada, em termos de tecnologia, já fabricada pela Ducati. É também a mais cara vendida no mercado brasileiro.

Apenas 500 unidades

A nova Ducati Panigale Superleggera V4 será produzida como uma edição limitada de apenas 500 motocicletas, cada uma com uma numeração individual. É a única motocicleta de rua do mundo com chassi, braço oscilante e rodas de fibra de carbono.

O modelo esportivo é exclusivo também na aerodinâmica extrema com duas asas (biplano) e uma relação potência/peso de 1,54 hp/kg na configuração do kit de corrida.

Produção de 5 motos por dia

O início das entregas está previsto para junho de 2020 na Europa. Dada a extrema complexidade da produção de tantos componentes, a taxa é limitada a apenas 5 motos/dia. No entanto, afirma a fabricante italiana, todas as motos serão produzidas em 2020.

A Ducati Superleggera V4 é apontada como a maior obra-prima da fabricante de Borgo Panigale em termos de engenharia, desempenho e design.

Lançamento

Após uma pré-visualização exclusiva para seus clientes mais apaixonados e leais, a Ducati agora apresenta oficialmente sua nova Panigale Superleggera V4.

Para garantir os mais altos padrões de qualidade e segurança, seus componentes foram 100% testados.

Para tanto, a empresa bolonhesa usou técnicas testes sofisticados, emprestadas da indústria aeroespacial, como termografia, inspeções por ultrassom e tomografia.

As dimensões do chassi foram modificadas para uso otimizado da esteira, aumentando o comprimento do braço oscilante. O resultado geral é um poder de desaceleração incomparável, inclinação mais rápida nos cantos e linhas mais nítidas saindo das curvas.

Ducati Panigale Superleggera V4 apresentou alto desempenho no circuito de Mugello

Alessandro Valia, piloto de teste oficial da Ducati, levou a motocicleta equipada com o kit de corrida e pneus lisos para o circuito de Mugello e cravou tempo de 1:52:45.

Seu desempenho foi extremamente alto. O tempo alcançado foi dois segundos mais baixo do que o tempo da volta de Panigale V4 R SBK. O modelo venceu o Campeonato Italiano de Velocidade (CIV) 2019, com Michele Pirro.

Muitos componentes da nova Ducati Panigale Superleggera V4 são feitos de fibra de carbono, moldados em formas aerodinâmicas avançadas. Isso inclui a carenagem, que garante um nível de eficiência aerodinâmica maior do que o das motos de MotoGP atuais.

Aerofólios biplanos

Os aerofólios ‘biplanos’ inspirados na Ducati MotoGP 2016 pode garantir uma força descendente de 50 kg a 270 km /h, 20 kg a mais do que o criado pelos aerofólios na Panigale V4 MY20 e V4 R. Essa força descendente melhora a aceleração, contrariando a tendência de acelerar e aumentando a estabilidade da frenagem.

As carenagens de fibra de carbono também exibem uma pintura inspirada na GP19 da Desmosedici. O resultado é uma combinação feita que justapõe o vermelho da GP19 com um carbono nu que enfatiza formas, materiais e detalhes técnicos.

Motor mais leve e potente

O motor da Panigale Superleggera V4 é o Desmosedici Stradale R 998 cm3 90 ° V4. Ele é mais leve e mais potente e pesa 2,8 kg a menos que o 1.103 cm3 V4.

Graças a um escape Akrapovič homologado, o motor fornece pelo menos 224 CV na configuração legal de estrada (valores de homologação da UE). Esse número sobe para 234 CV quando equipado com o escape Akrapovič de titânio para uso em pista, incluído no kit de corrida fornecido com a motocicleta.

A natureza de corrida do motor é aprimorada pelo uso da embreagem seca e pelo ajuste manual individual do sistema de distribuição Desmodromic. Somente na Superleggera V4, uma calibração especial do motor para o escapamento de corrida dá aos pilotos acesso a uma tela “RaceGP”. É destinado exclusivamente ao uso da pista.

Fibra de carbono

Produzida com uso extensivo de componentes de fibra de carbono, titânio e magnésio e outros fabricados em alumínio sólido, a Superleggera V4 tem um peso seco de apenas 159 kg (16 kg a menos que a Panigale V4). O resultado é uma relação potência/peso de 1,41 hp/kg: um número recorde para uma motocicleta esportiva legal em trânsito.

A montagem do kit de corrida fornecido e a mudança da motocicleta para a configuração da pista aumentam a potência para 234 hp, diminuindo o peso para 152,2 kg e aumentando a relação potência/peso para 1,54 hp/kg.

Modos de pilotagem

Os controles eletrônicos também foram desenvolvidos para melhorar a natureza das corridas desta motocicleta. Seus parâmetros operacionais são associados por padrão a três modos de pilotagem reprogramados (chamados Corrida A, Corrida B e Esporte).

Pela primeira vez o modelo ganha cinco modos de pilotagem adicionais que podem ser personalizados com as configurações preferidas do motociclista.

Os pilotos podem monitorar os tempos das voltas através do Lap Timer atualizado. Desta forma, há possibilidade de gravar as coordenadas da linha de chegada e dos tempos parciais para cinco circuitos favoritos. Estes podem ser recuperados no início de cada dia sem ter que repetir o procedimento de configuração.

Pacote eletrônico

As configurações padrão do sistema apresentam os detalhes da linha de chegada/tempo parcial de: Laguna Seca, Mugello, Jerez, Sepang e Losail. Isso é elevado ainda mais por conta do pacote eletrônico de última geração, incluindo estratégias EVO 2 para o DTC e DQS para cima/baixo.

Outros itens padrão incluem um sistema de suspensão Öhlins mais leve. Utiliza um garfo pressurizado e fundo de garfo em alumínio usinado mais leve, uma mola de amortecedor de titânio e válvulas derivadas de GP. O conjunto melhora o amortecimento de solavancos durante a fase inicial de compressão.

O sistema de freios é o melhor da faixa de produção da Brembo. Cona com uma pinça MCS com uma folga de alavanca ajustada remotamente e pinças Stylema® R, exclusivas da Superleggera V4. A utilização do equipamento proporciona maior consistência do curso do freio dianteiro em pistas longas.

Comentários