Cultura

Confeitaria em Roma exibe ovos de Páscoa transformados em obras de arte

O autor das pinturas, Walter Musco homenageia diversos artistas, sobretudo os representantes da pop art nas esculturas com chocolate

diario da manha
Ovos de Páscoa criados por Walter Musco — Foto: Vincenzo PINTO / AFP

Uma confeitaria de um bairro popular no sul de Roma exibe em suas vitrines ovos de Páscoa multicoloridos, como verdadeiras obras de arte que homenageiam à confeitaria.

Os ovos de chocolate esculpidos por Walter Musco, um romano de 47 anos, também homenageiam artistas que o inspiram, principalmente da pop art. Walter Musco é apaixonado pela arte moderna e especialista em confeitaria na decoração de uma das tradições culinárias da festa do Domingo de Páscoa.  

Em entrevista à AFP, ele explicou que a ideia de fazer a pintura nos ovos de páscoa surgiu de sua paixão pela arte, literatura, música e pelo cinema.

“Todos os artistas que cito nesta exposição representam dez anos de produção. São os mais representativos e os que mais gosto. Incluí muitos artistas italianos (…) e internacionais, mas sobretudo da pop art: Keith Haring, Roy Lichtenstein”, disse Walter Musco à AFP.

Em dos ovos, que foi pintado com um amarelo-girassol o autor se inspirou nas famosas incisões das telas do pintor ítalo-argentino Lucio Fontana, conhecido por seus trabalhos abstratos. Outro ovo, com um vestido de veludo vermelho, foi inspirado na estilista Azzedine Alaïa.

Obras gastronômicas que custam até 400 euros

Os ovos custam entre 150 e 400 euros (cerca de R$ 1 mil a R$ 2,6 mil). Mas o artista revela que esses ovos de chocolate raramente são comidos e como podem ser mantidos por muito tempo em lugares frescos, alguns inclusive pertencem a coleções particulares de clientes que os compraram, mas nunca quiseram abri-los ou comê-los.

Segundo Walter Musco, os ovos são fabricados inteiramente à mão, e para isso ele usa 55% de chocolate amargo. “Todas as cores que usamos são para alimentos e são misturadas à manteiga de cacau em proporções precisas”, explica.

Walter Musco – Foto: Vincenzo PINTO / AFP

De acordo com ele, foi sozinho que aprendeu a desempenhar seu trabalho com a arte. “Tive uma galeria de arte há muitos anos. Vendia arte da África, Sudeste Asiático, Oceania, de aborígenes da Austrália. Aí me apaixonei por essa forma de arte mais eurocêntrica”, contou.

*Com informações do G1.

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Online www.dm.jor.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.

Leia também:


Comentários