Cultura

Flip 2020: Ciclo da Autora Homenageada acontecerá em versão on-line

Por consequência da pandemia, o tradicional ciclo do evento literário, neste ano, acontecerá em modo virtual

diario da manha
Foto: Reprodução

Por consequência da conjuntura de pandemia, a 18ª Festa Literária
Internacional de Paraty, programada para novembro deste ano, agora acontece de maneira virtual e promove a partir desta segunda-feira (10) um ciclo de discussão online sobre a autora homenageada da edição, a polêmica Elizabeth Bishop – primeira estrangeira a ocupar o posto de protagonista da feira literária, fato que ocasionou ferrenhas críticas, principalmente pela conduta da autora ao ter elogiado os sombrios tempos da ditadura militar brasileira. Bishop, viveu duas décadas no Brasil, país que serviu de matéria para parte sua produção literária e epistolar.

O Ciclo da Autora Homenageada, parceria do Sesc SP e Flip, reúne o poeta norte-americano Lloyd Schwartz, as escritoras Marilene Felinto, Stephanie Borges, Angélica Freitas e Flora Thomson-DeVeaux, o cronista Humberto Werneck, a atriz Regina Braga, o tradutor e organizador da obra da autora no Brasil Paulo Henriques Britto, entre outros que se debruçarão sobre a obra da autora em nove encontros, sempre às 18:30

A atividade que há vários anos antecede a Flip já tratou das obras de Mário de Andrade, Lima Barreto, Hilda Hilst e Euclides da Cunha. A proposta é abordar a obra e a biografia da poeta americana Elizabeth Bishop (1911-1979) sob aspectos variados.

As inscrições podem ser feitas a partir do dia 3 de agosto, às 14h, pelo site do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc –  As vagas são gratuitas, porém, limitadas.

Programação

10 de agosto – segunda-feira – 18h30 Lloyd Schwartz conversa com Paulo Henriques Britto

O poeta Lloyd Schwartz escreveu artigos sobre Elizabeth Bishop, além de ter organizado e editado vários livros da poeta, de quem foi amigo de 1970 até sua morte. Para abrir o ciclo, ele conversa com Paulo Henriques Britto, o principal responsável pela divulgação da obra de Bishop no Brasil.Haverá tradução simultânea.

11 de agosto – terça-feira – 18h30 Marilene Felinto e Alice Sant’Anna 

A escritora Marilene Felinto fez uma série de reportagens para a Folha de S.Paulo nos anos 1990, em que entrevistou amigos e visitou os lugares onde viveu a poeta americana nas quase duas décadas que passou no Brasil. Ela conversa com a poeta Alice Sant’Anna, que também é a atual editora de Bishop no Brasil.]

13 de agosto – quinta-feira – 18h30 Stephanie Borges e Flora Thomson-DeVeaux

 Duas tradutoras e leitoras de Elizabeth Bishop debatem seu ofício. Stephanie Borges é poeta e tradutora de diversas autoras afro-americanas de poesia e prosa. Flora Thomson-DeVeaux, escritora norte-americana que vive no Rio de Janeiro, traduziu Machado de Assis para o inglês.

14 de agosto – sexta-feira – 18h30 José Alberto Nemer e Humberto Werneck 

O artista plástico José Alberto Nemer foi o amigo mais próximo de Bishop em seu período em Minas Gerais. Em conversa com Humberto Werneck, jornalista e um dos maiores cronista brasileiros, Nemer lembra momentos preciosos do cotidiano com a poeta. 

17 e 18 de agosto – segunda e terça-feira – 18h30 Paulo Henriques Britto

O poeta, tradutor e professor Paulo Henriques Britto é o mais importante divulgador da obra de Elizabeth Bishop no Brasil. Traduziu seus poemas, sua prosa e sua correspondência, além de ter organizado coletâneas e escrito ensaios de apresentação dos livros da poeta para o público brasileiro. Nos dois encontros, ele divide conosco uma parte desse conhecimento.

19 de agosto – quarta-feira – 18h30 Paulo Henriques Britto e Regina Przybycien 

Regina Przybycien conversa com Paulo Henriques Britto sobre sua tese de doutorado, Feijão preto e diamantes, que trata da passagem de Elizabeth Bishop pelo Brasil, especialmente por Ouro Preto. O tradutor, por sua vez, comenta os poemas de Bishop sobre Minas Gerais.

20 de agosto – quinta-feira – 18h30 Marta Góes e Regina Braga 

A dramaturga Marta Góes escreveu uma peça baseada na vida e na obra de Elizabeth Bishop, que rendeu à Regina Braga o prêmio APCA de melhor atriz e passou anos em cartaz. Nesses encontros elas relembram seus processos de criação e parceria.

21 de agosto – sexta-feira – 18h30 Angélica Freitas e Juliana Perdigão 

A poeta Angélica Freitas e a cantora e compositora Juliana Perdigão, encerram o ciclo Elizabeth Bishop com uma apresentação de poesia e música inspirada pela obra e pela vida da poeta americana que viveu o amor de sua vida no Brasil.

Comentários