Cultura

Grupo Arte e Fatos encena dramaturgia goiana no Teatro Sesi

Escrita há 10 anos, dramaturgia goiana aborda importantes temáticas sociais discutidas na contemporaneidade

diario da manha

O grupo de teatro Arte e Fatos (PUC Goiás), em parceria com a Associação Cultural Casa de Nazaré, apresenta o espetáculo No Fundo do Poço, no dia 4 de fevereiro, às 20h, no Teatro Sesi. Com texto e direção de Danilo Alencar, a peça aborda sobre as práticas culturais de uma sociedade machista, a desigualdade de gênero, as nuances do assédio e do abuso sexual, a prática do suicídio, além de temáticas sociais e ambientais discutidas na contemporaneidade. 

Escrita há 10 anos, a obra No Fundo do Poço apresenta, de forma pontual e relevante, diversas figuras de linguagem que apresentam de maneira peculiar as características da cultura regional, especialmente daquela vivida no campo. O título da obra é um dos exemplos de metáforas utilizadas pelo autor. No enredo, a presença de diversas abordagens: de temas sobre a desigualdade social a questões relacionadas ao futuro do Meio Ambiente. “Será pai um bichin assim, miúdo, capais de findá com os ser vivente tudo?”. O trecho da obra faz alusão ao papel fundamental das abelhas para o equilíbrio dos ecossistemas – assunto bastante discutido por cientistas, em 2019. 

Ao longo da dramaturgia, é possível identificar vários questionamentos feitos pelos personagens, que levam ao público reflexões desde assuntos mais simples aos mais complexos. A discussão sobre os tabus e preconceitos relacionados à figura da mulher e a desigualdade de gênero são onipresentes no texto: “Ocês têm que pará com essa ordança: de achá que muié foi feita só pra recebe orde”. Com personagens que exteriorizam as suas inquietudes, No Fundo do Poço apresenta ao público questões sociais divididas por uma linha tênue entre fantasia e realidade.

Para Danilo, conscientizar a população sobre problemas ambientais e sociais, além de proporcionar questionamentos referentes à prática de abuso sexual são alguns dos objetivos da peça. “O teatro possui um papel social extremamente importante para a formação da sociedade. Resolvi tratar de temas bastante recorrentes em nosso cotidiano, mas que não são vistos por parte da sociedade. São temas que ainda carregam vários tabus e, assim, promovem um serviço de desinformação. Compartilhar o conhecimento por meio da arte é a essência do Arte e Fatos e eu, enquanto artista e historiador, devo cumprir com honra o meu ofício”, enfatizou o diretor. 

O dramaturgo explica que a pesquisa realizada no processo de montagem identificou altos índices da prática de violência sexual no Estado de Goiás. “É triste reconhecer que não foi difícil encontrar vítimas de abuso. Infelizmente nós descobrimos que essa prática que assola o país é muito comum entre familiares”, afirmou. Depoimentos de várias vítimas foram usados para a construção do espetáculo. A realidade de famílias com histórico de assédio sexual, a influência das crenças e da cultura popular, além do cenário de sobrevivência de famílias em situação de pobreza são algumas das temáticas abordadas no espetáculo No Fundo do Poço.  

Sobre o autor 

Nascido no interior de Minas Gerais, Danilo Alencar é dramaturgo e diretor de teatro há mais de 30 anos. O teatrólogo atua como diretor do Grupo Arte e Fatos, da Coordenação de Arte e Cultura da PUC Goiás, desde 1988, onde ministra oficinas de teatro para atores iniciantes e profissionais. Com atuação relevante na cena goiana, Alencar é autor das obras: Nos Trilhos da História (1988), Liberte Uai (1989), Sob o Sol de Canudos (1991), Anjos Poetas (1995), Herdeiros de Zumbi (2000), A Clara do Ovo (2004), Travesseiro (2013), Mundo Cerrado (2015), além de outras. Durante 10 anos, o diretor encenou o espetáculo Balada de um Palhaço (2006), de Plínio Marcos; montagem que circulou pelo Brasil e conquistou vários prêmios em importantes festivais do país.

Serviço

Espetáculo: No Fundo do Poço

Quando: 4 de fevereiro

Horário: às 20h

Onde: Teatro Sesi

Ingresso: 1 livro literário ou 2 kg de alimento

Realização: Arte e Fatos (PUC GO) e Casa de Nazaré

Comentários