Cultura

Artistas plásticos homenageiam Rio Araguaia em novo projeto

Rio, que é um dos símbolos das belezas naturais do Estado, inspira iniciativa que une artes plásticas e preservação ambiental; governador Ronaldo Caiado apoia ideia

diario da manha

Rariana Pinheiro

A exuberância do Rio Araguaia aliada ao poder criativo de 50 grandes nomes da arte goiana. Assim será o “Araguaia – Piracema das Artes”, um projeto que reúne incentivo à arte e preservação, e mesmo ainda em fase de busca de parcerias já está na expectativa de sair logo, logo do papel. Isso porque, idealizado pela produtora cultural Laila Santoro, pelo jornalista Alex Pereira e o artista plástico Auriovane D’Ávila, o movimento artístico ganhou o gosto do governador Ronaldo Caiado (DEM).

Ele conheceu a ideia durante as solenidades que celebraram o aniversário de 292 anos da cidade de Goiás, no último dia 25, no Mercado Municipal de Goiás,  onde houve o pré-lançamento do projeto. E, na ocasião, Ronaldo Caiado garantiu apoio à iniciativa. “O governador, nas suas falas, enalteceu e reconheceu a importância do projeto, oferecendo apoio com envolvimento das secretarias de Cultura, do Turismo e outras frentes também”, conta a produtora cultural Laila Santoro.

No pré-lançamento do “Piracema – Araguaia das Artes” estava presente o secretário da Cultura, Edival Lourenço, e teve ainda a presença de representantes das artes plásticas goiana, como o presidente da Associação Goiana dos Artistas Plásticos, Valdir Ferreira, e os artistas Amaury Menezes e Rosy Cardoso. A também artista Helena Vasconcelos foi convidada, mas não pôde comparecer. 

“A arte em sua congregação pictórica dá vazão a múltiplas imagens. Esse projeto é um movimento de artistas que fortalece esta relação com  seus pincéis. O rio banha nossas esperanças com suas verdes, azuis e cristalinas águas, e as lembranças douradas de nossas infância. O projeto Piracema aviva nosso abraço com a natureza, pois propõe com  a arte angariar recursos para seu estabelecimento”, argumenta a pintora e escritora Rosy Cardoso.

Da esq. para dir.: Valdir Ferreira, Amaury Menezes, Rosy Cardoso e os idealizadores Auriovane D’Ávila e Alex Pereira (Foto: Divulgação)

Uma causa 

O projeto, em fase de formação da equipe e captação de recursos,  consiste em reunir 50 artistas que irão retratar o Rio Araguaia, a partir de seu estilo e sensibilidade. A seleção dos nomes caberá a uma equipe de curadores ainda não definida – está confirmado apenas o diretor do museu de Artes de Goiânia, Antônio da Mata. 

Após a escolha das obras, os trabalhos vão ser mostrados em uma exposição que vai acontecer em Brasília (DF), no ano que vem. E, após o evento, o projeto ainda pretende trazer de volta a verba arrecadada ao grande inspirador do projeto, o Rio Araguaia, claro. 

“Toda a renda obtida com comercialização das obras será destinada para uma segunda ação do projeto que envolve um trabalho com a comunidade ribeirinha do Araguaia, promovendo a sustentabilidade de quem vive e sobrevive dos recursos do Rio Araguaia. Essa etapa possui um alinhamento com os ideais do projeto do Governo do Estado ‘Todos Juntos pelo Araguaia’”, diz o produtor e jornalista Alex Pereira. 

Encontro fértil

Alex (à direita), Laila (centro) e Auriovane (esquerda)

A ideia de fazer um projeto que resguardasse o Araguaia e paralelamente valorizasse a arte goiana era uma vontade antiga de todos os envolvidos no projeto. Mas, de acordo com Laila Santoro, nunca levado a frente. As coisas começaram a se concretizar quando Auriovane ligou para Alex com ideia de fazer “um agito com as artes plásticas”. O jornalista aceitou prontamente, convidou Laila e as coisas começaram a fluir. 

Mas a empolgação batia de frente com um cenário complicado para as leis de incentivo à cultura. E a esperança nasceu quando o governo lançou “Todos Juntos pelo Araguaia”, um projeto dos governos de Goiás e Mato Grosso que pretende promover ações de recomposição de áreas florestais.

“Vimos a preocupação do atual governo na preservação do Araguaia e isso foi a molinha que faltava pra fazer a visibilidade do Piracema. Foi um despertar sensato do artista Auriovane que nos fez iniciar”, diz Laila.

De acordo com o artista plástico, e agora produtor, o nome também nasceu de uma inspiração dele, quando começaram a ter a ideia de reunir vários artistas em prol do rio. “Este ato de se unir é o mesmo que os peixes de várias espécies se juntam para revitalização e repovoar os rios”, explica Auriovane.

Ele complementa ainda que a logo criada por ele e aperfeiçoada pelo designer Paulo Henrique seguiu o mesmo conceito de união entre natureza e arte. “A logo leva nas cores verde, a vegetação; azul, a água; o sol, com a base cortada pelas areias ilustrando as praias. O pincel em formato de um peixe representando o movimento artístico”, detalha.

Logo do projeto (FOTO: REPRODUÇÃO)


Comentários