Cultura

Coca-Cola estuda desenvolvimento de bebida à base de maconha

diario da manha

A Coca-Cola informou nesta segunda-feira (17/09) que monitora o crescimento do mercado de bebidas com infusão de maconha. Grandes corporações têm entrado na indústria da maconha desde que o Canadá aprovou o uso recreativo. Segundo Bruce Campbell, gerente de portfólio na Stonecastle Investiment Management, que investe em produtos de maconha, a imersão neste mercado irá  permitir que as empresas desenvolvam e construam uma marca sem infringir nenhuma lei.

A empresa respondeu a informações da mídia de que a maior fabricante de bebidas estava em conversas com a canadense Aurora Cannabis. Os produtos da parceria, relatada pela emissora financeira canadense BNN Bloomberg, poderiam ajudar os esforços da Coca-Cola para superar a baixa demanda por refrigerantes com alto teor de açúcar, diversificando-se para bebidas saudáveis e a base de café.

Campbell relatou ainda que este comércio nos Estados Unidos colocaria em risco suas relações bancárias. Em declarações separadas, a Coca-Cola e a Aurora disseram que estavam interessadas em bebidas com infusão de canabidiol. As empresas provavelmente desenvolveram bebidas que alivia inflamações, dores e cólicas, disse a BNN.

A ação tornaria a Coca-Cola a primeira fabricante de bebidas não alcoólicas a entrar no mercado de produtos a base de cannabis, após anúncios da Constellation Brands, fabricante da cerveja Corona, e da Molson Coors Brewing. A fabricante de bebidas alcoólicas, a Diageo, também está negociando com pelo menos três produtores canadenses de cannabis, considerando um possível investimento.

As vendas em mercados legalizados dos Estados Unidos devem quase triplicar para 16 bilhões de dólares até 2020, contra 5,4 bilhões de dólares em 2015, de acordo com a pesquisadora de mercado Euromonitor International, e a Constellation a cannabis poderia gerar 200 bilhões de dólares em 15 anos.

(Foto/Reprodução/Internet)

Comentários