Cotidiano

PC deflagrou 'Operação Uber'

O propósito da operação era a busca e apreensão de um menor infrator, por crime análogo a tentativa de homicídio e roubo de automóveis

diario da manha

Hoje, sexta-feira (16), a Polícia Civil (PC-GO), por intermédio do Grupo Especial de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Gepatri) de Luziânia, Entorno do Distrito Federal, deflagrou a ‘Operação Uber’.

O intento era apreender um menor (17 anos e 9 meses), que desferiu 19 facadas em um motorista da empresa de aplicativo Uber. À época, a intenção do infrator era roubar o carro durante o trajeto entre Santa Maria do DF e Luziânia.

O caso aconteceu no dia 25 de setembro de 2020, por volta de 11h30, no Jardim Ingá e, desde então as apurações estavam em andamento, e hoje foi autorizado judicialmente e cumprido a apreensão e internação do menor.

Conforme o delegado titular do Gepatri e responsável pelo caso, Carlos Alfama, afirmou que: “Solicitamos ao Poder Judiciário que determinasse a internação do menor, tendo em vista a alta periculosidade do mesmo e a gravidade de suas ações”.

Ainda segundo Alfama: “ouvidos familiares do autor, concluímos que o menor teria praticado o fato porque queria ‘fazer dinheiro e ficar rico’, e também disse que ‘queria o automóvel para ele, pois estava cansado de andar a pé”, confirmou o delegado.

Diante da intensidade da discrição dos fatos e visando a recuperação do menor infrator, o mesmo, encontra- se agora recolhido em instalação apropriada, onde permanecerá até o seu julgamento.

Em nota a Uber informou que não foi possível encontrar o caso verificado. Em nota afirmou que faltou informações para confirmar a ocorrência. Confira a nota completa:

“Não foi possível verificar o caso relatado pelo Diário da Manhã porque, até o momento, não foram fornecidas à empresa informações suficientes para verificar se a ocorrência mencionada se deu em viagem com o aplicativo Uber. De qualquer forma, a empresa se coloca à disposição para colaborar com as autoridades no curso das investigações”.

Comentários