Cotidiano

Padre Robson diz que morte de dirigente da Afipe seria uma "benção"

Áudios mostram envolvimento do religioso em um possível esquema de lavagem de dinheiro

diario da manha

Novos áudios divulgados do padre Robson de Oliveira, mostra sacerdote dizendo que seria conveniente para ele que Anderson morresse. O áudio foi encaminhado para o advogado do padre, que alega ser uma montagem de forma distorcida. Robson é investigado por desvio de dinheiro der fieis, doados à Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), em Trindade.

Contudo, as gravações obtidas com exclusividade pelo Fantástico, mostram também um possível pagamento a desembargadores.

“Se você pudesse matar ele para mim, eu achava uma benção. Acaba com esse cara, bicho. Isso aí só vai atrapalhar nossa vida. Para mim, até hoje, foi um atraso”, disse Robson em áudio enviado a advogado.

A defesa do padre, informou em nota ao Fantástico que tudo não passa de adulterações feitas por pessoas inescrupulosas. Entretanto, Anderson Fernandes, dirigente da Afipe, afirmou que o episodio em que o padre disse que queria matá-lo, era claramente uma brincadeira. De acordo com ele, era frequente o padre falar esse tipo de coisa, inclusive na frente dele.

Padre Robson é investigado na Operação Vendilhões, que cumpriu mandatos e busca e apreensões em agosto de 2020. Segundo o MP, os áudios fazem parte de provas onde mostram a participação o padre em um possível esquema de lavagem de dinheiro. Todos os áudios eram gravados secretamente.

Os áudios passaram por pericia técnica e comprovaram ser mesmo o padre. Os arquivos estavam em HDs, computadores e no celular de Robson. Todo o material foi apreendido durante a operação do Ministério Público. E-mails trocados entre dois dirigentes da Afipe também foram apreendidos. O conteúdo entre Rouane Caroline e Anderson Fernandes, afirmam que devem proteger o padre.

“Anderson, temos que proteger o padre. Se colocarem as mãos em determinados documentos, vai todo mundo preso”, escreveram.

Motivos da Extorsão de dinheiro

Os áudios mostram que o padre subornava várias pessoas, como o marido de Talitta Di Martino. No entanto, ela trabalhava na Afipe e tinha um relacionamento amoroso com o padre. Contudo, Robson teria pago R$ 350 mil ao marido dela, o jornalista Tyrone Di Martino, com a justificativa de que ele ia escrever uma biografia dele. Entretanto, um áudio do próprio padre desmente a contratação do serviço.

Comentários