Cotidiano

Condutor do acidente em Taguaí deve responder por homicídio

Conforme à polícia acidente que matou 41 em São Paulo indica falha humana

diario da manha

Diante da fatalidade e do grande número de vítimas, o trabalho de investigações sobre a causa do acidente de ônibus que deixou 41 mortos, entre as cidades de Taguaí e Taquarituba, no interior paulista, em 25/11, está sendo realizado por meio de força-tarefa. Segundo a delegada de Taguaí, Camila Rosa Alves, afirmou que a apuração preliminar indica falha humana e destaca o esforço de uma identificação rápida dos corpos para que “as famílias possam prestar uma última homenagem.

A colisão foi entre um ônibus que transportava trabalhadores de uma fábrica de jeans e uma carreta que levava estrume. A Star Turismo, empresa responsável pelo coletivo, operava de forma ilegal há mais de um ano, segundo a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

Para delegada de Taguaí, há mais de uma versão para a ocorrência, mas a apuração preliminar indica que pode ter sido um caso de falha humana.

“A gente está apurando a conduta principalmente do motorista do ônibus, que está em estado grave. Mas a investigação depende da conclusão dos laudos periciais que foram realizados no local e da oitiva de testemunhas, que estavam no evento, mas que também estão hospitalizadas. Tem testemunha que está milagrosamente com lesão leve, mas tem o emocional. Agora, não é hora de se pegar oitiva”.

Segundo o site Terra, a Polícia Civil de Itaguaí informou que o motorista do ônibus ainda não foi ouvido formalmente sobre as causas do acidente. A um policial que o ouviu de maneira informal, ele teria dito que o ônibus estava sem freios. O homem, de 55 anos, está internado com suspeita de traumatismo craniano, na Santa Casa de Fartura.

Conforme a Secretaria da Segurança Pública (SSP), as unidades do Instituto Médico Legal (IML) de Avaré, Botucatu e Itapetininga foram acionadas, tendo em vista o número de óbitos. Inicialmente, os 11 feridos foram encaminhados para hospitais de Fartura, Taguaí e Taquarituba. Conforme a Secretaria de Estado de Saúde, três foram transferidos para a Santa Casa de Avaré e dois para o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, um homem de de 26 anos e uma mulher ainda não identificada, que estão em estado grave e com intubação.

“Estamos apurando os fatos e a nossa preocupação é identificar todos os corpos. A gente está se adequando dentro dos recursos que possuí para possibilitar um conforto para as famílias e a identificação mais célere possível, para que possam prestar uma última homenagem, levando em consideração a nossa situação de Covid”, afirmou a delegada.

Comentários