Cotidiano

Crise entre Salles e Ramos explicitou de vez divisão no governo

Camarotti fala sobre pedido de desculpas de Ricardo Salles ao ministro Luiz Eduardo Ramos

diario da manha

O chefe da Secretaria de Governo e Ricardo Salles , general Luiz Eduardo Ramos, o episódio explicitou em definitivo a divisão no governo. O próprio presidente Jair Bolsonaro teve que intervir para que houvesse um entendimento pelas redes sociais.

Mas as sequelas permanecem, afirmou preocupado com a gravidade do episódio um auxiliar direto do presidente.

Os ataques de Salles em público evidenciaram o racha que tem, de um lado, a chamada ala ideológica e o núcleo familiar, e, do outro, a ala militar com o apoio da base política (leia-se Centrão). A perplexidade com os ataques foi tamanha que até os presidentes da Câmara e do Senado saíram em defesa do general.

Integrantes da ala ideológica aproveitaram o episódio para tentar recuperar espaço, depois que o pragmatismo tomou conta do governo e o Centrão passou a ter influência. Até os filhos do presidente Jair Bolsonaro entraram na briga. O deputado federal Eduardo Bolsonaro defendeu Salles.

Parlamentares aliados aos filhos do presidente sempre culparam os generais do Planalto pelas críticas internas ao chamado “gabinete do ódio”. O vereador Carlos Bolsonaro foi além e mandou em uma rede social um recado indireto para os militares ao afirmar que “seria capaz de ‘chutar’ quem inventou essa historinha de ‘gabinete do ódio”.

Com informações do G1

Comentários