Cotidiano

“Dono da Havan pediu minha cabeça”, diz Rachel Sheherazade sobre demissão

diario da manha

Na semana passada, o SBT anunciou ter dispensado Rachel Sheherazade após 9 anos de emissora. De acordo com a jornalista, sua saída foi graças ao dono das lojas Havan, Luciano Hang, um dos principais apoiadores do governo Bolsonaro.

Em entrevista ao colunista Léo Dias, do Metrópoles, ela contou que sentiu que seu futuro estava incerto quando o empresário pediu que Silvio Santos demitisse por suas críticas. “Tem muitas coisas, mas a declaração do dono da Havan, que se autodeclara como “véio da Havan”. Ele veio a público pedir a minha cabeça. Ele é um dos maiores patrocinadores do SBT e de outras grandes emissoras também. Então, ali eu já sentia alguma coisa”.

Leia também: Silvio Santos quer Sandra Annenberg no lugar de Sheherazade, segundo colunista

Além disso, Rachel Sheherazade contou que, mesmo convidada para se filiar a vários partidos políticos, não tem intenção de entrar no ramo. “Eu sempre fui sondada por partidos, mas eu nunca aceitei. Não aceitei, pois uma vez que você entra para a política não dá mais para voltar ao jornalismo. E hoje eu tenho os meus dois pés plantados no jornalismo”, contou.

Sheherazade não teve seu contrato renovado ficará no ar até o dia 31 de outubro, quando encerra o acordo com o SBT. Segundo o Na Telinha, um dos problemas para o fim da parceria teria sido seu salário, nunca foi divulgado, mas especula-se que seja R$ 200 mil mensais.

Leia também: Bolsonaro veta parte de dívidas tributárias de igrejas

Comentários