Cotidiano

Pesquisa da UFG identifica novos alvos para tratar a Covid-19

Outro ponto levantado, foi o de que alguns pacientes não são capazes de dar respostas antivirais, que evitaria assim que o vírus fosse replicado

diario da manha
Foto: Reprodução

Novas atividades imunológicas e metabólicas dos pacientes infectados com Covid-19, foram descobertas, durante pesquisas feitas pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Os estudos analisaram como o novo coronavírus é capaz de agir no corpo humano, e a pesquisa identificou possíveis alvos para tratar a doença.

Segundo o professor Luiz Gustavo Gardinassi, responsável por liderar a equipe e pela pesquisa, foram utilizadas as metodologias de estudo das análises computacionais.

“Foram fitas pesquisas com amostras de sangue ou pulmão, e conseguimos perceber que o método usado, não podia ter a sensibilidade ideal. Por essa razão, passamos a fazer uma outra análise dos dados, e com a revisão do método adoto, foi possível retirar novas informações sobre a doença”, explicou o pesquisador.

Entre as descobertas feitas com a pesquisa, está a de que uma pessoa infectada tem uma queda das células de defesa no organismo, e que são necessárias para o combate as infecções virais. Outro ponto levantado, foi o de que alguns pacientes não são capazes de dar respostas antivirais, que evitaria assim que o vírus fosse replicado.

Gardinassi afirmou ainda que por meio do estudo foi capaz de identificar uma característica comum dos pacientes infectados, que é a queda de genes responsáveis pela defesa do organismo. A pesquisa mostrou ainda que há outras células do sistema imune que tiveram aumento.

Estudo foi feito com base em comparações de pacientes infectados com influenza e Covid-19

O estudo foi feito com base em comparações com pacientes infectados com a Covid-19 e outros com outras doenças respiratórias, por exemplo a influenza. Durante o levantamento, os pesquisadores conseguiram identificar que as respostas dada pela sistema imunológico a ambas doenças, são parecidas, todavia, os infectados com influenza consegue ativar os genes responsáveis pela defesa do organismo, diferente dos pacientes com Covid-19.

Para o professora pesquisas como a da UFG podem auxiliar a entender a ação do novo coronavírus, e dar novos rumos ou estratégias para o tratamento da doença.

Outro ponto levantado pela pesquisa da universidade, foi o metabolismo dos pacientes infectados pela Covid-19, e que tem a possibilidade de serem usados como alvos para o tratamento da doença. O pesquisador afirmou que as vias metabólicas são responsáveis por manter a energia e função das células de defesa ativadas pelo organismo.

*Com informações do G1

Comentários