Cotidiano

Fake news: Secretaria de Saúde desmente informação de deputado Cláudio Meirelles

Deputado estadual é repreendido por informação sobre pandemia em Itumbiara considerada inverídica

diario da manha
Cláudio Meirelles

Um compartilhamento que traz a imagem do deputado estadual Cláudio Meirelles em grupo de Whats App, com comentários sobre o combate da pandemia de Covid-19 em Goiás, traz informações inverídicas e caracterizadas como fake news pela Secretaria de Saúde (SES) do Estado de Goiás.

Pelo texto divulgado, o Governo de Goiás “está gastando R$ 281,971,00 por dia no hospital São Marcos da cidade de  Itumbiara, para tratamento de pacientes com Covid-19”.

As informações são consideradas falsas.

Meirelles diz ainda que serão gastos R$ 50 milhões com a unidade de saúde, em alusão a “superfaturamento”.

A SES repudia a informação em nota e afirma que o hospital está fechado.

“Cláudio Meirelles deveria respeitar Goiás e não se travestir de mentiras para politizar uma pandemia de coronavírus que já tirou a vida de 29 goianos. É preciso mais respeito a quem sofre com a dor dessa doença”, diz a nota oficial.

A seguir, a nota divulgada pelo órgão de governo que atua no enfrentamento da pandemia em Goiás:

NOTA

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás repudia a criação de fake news por parte do deputado estadual Cláudio Meirelles. O citado parlamentar divulgou por meio de mensagens de WhatsApp que o Hospital e Maternidade São Marcos, em Itumbiara, estaria em funcionamento ao custo diário de R$ 281.971,00. E que seriam destinados pelo Estado mais de R$ 50 milhões para serem gastos no hospital em 6 meses. Cláudio Meirelles deveria respeitar Goiás e não se travestir de mentiras para politizar uma pandemia de coronavírus que já tirou a vida de 29 goianos. É preciso mais respeito a quem sofre com a dor dessa doença. O hospital citado pelo disseminador de fakes, sequer está aberto. Ainda está fechado e sem gastar nenhum real dos cofres públicos do Estado. Nada foi pago referente ao Contrato de Gestão da unidade, que ainda segue em tramitação e aguarda a aprovação da Assembleia Legislativa. O hospital será de campanha e, quando for ativado para o tratamento de vítimas do coronavírus, terá um gasto mensal de R$ 8,4 milhões, cujo valor é exequível pelo Estado e compatível com uma unidade de 200 leitos, sendo 30 de UTIs. O hospital terá abrangência regional, atendendo a diversos municípios de Goiás. O momento é de trabalhar para salvar vidas. E, acima de tudo, é preciso respeitar cada um dos cidadãos goianos”.

Comentários