Coronavírus

Aluno da rede estadual cadastrado no Bolsa Família terá repasse de R$ 75

Valor deve ser utilizado para alimentação dos estudantes durante o período de suspensão das aulas presenciais.

diario da manha
Foto: Reprodução

O Governo de Goiás publicou, na tarde desta quarta-feira, dia 25, o decreto que regulamenta o repasse de verbas da alimentação escolar para os alunos matriculados na rede estadual de educação, que tenha cadastro no programa Bolsa Família.

A decisão de atender os alunos das regiões mais carentes do estado e que tem na alimentação escolar uma importante parcela da alimentação diária foi determinada pelo governador Ronaldo Caiado à secretaria de educação, que buscou apoio em outros órgãos do estado para realizar o atendimento aos alunos.



O decreto regulamenta o repasse de cinco reais por dia para cada aluno e atende a esse primeiro período de suspensão de aulas presenciais com até setenta e cinco reais por aluno. O governador afirmou na manhã de hoje em coletiva que tem por objetivo cuidar dos alunos em situação de vulnerabilidade. “Nós vamos passar 75 reais a mais, no programa bolsa família para que as crianças que estão fora da escola tenham acesso a alimentação”, enfatizou o governador.



Segundo o que regulamenta o decreto, a alimentação escolar para os alunos será viabilizada pelo aporte de valores para aquisição de alimentos por suas famílias, preferencialmente, por meio do Cartão Bolsa Família, ou Cartão Renda Cidadã e também o Cartão Cidadão. O governo de Goiás vai usar o fundo Protege para fazer esse aporte financeiro.


A secretária Fátima Gavioli destacou que no início, se pensou em fornecer alimentação nas escolas por meio de marmita ou kit lanche, como isso se tornou inviável devido a possibilidade de aglomeração e risco de disseminação do vírus, buscou-se outra saída que foi a parceria entre a secretaria de educação ao trabalha da secretaria de desenvolvimento social e o gabinete de políticas sociais para que uma saída fosse encontrada “O decreto é fruto de uma união de um governo que pensa primeiro nas pessoas e na qualidade de vida delas”, explicou a secretária.

Aulas não presenciais

As aulas no estado de Goiás foram suspensas no dia 16 de março por determinação do governador, para conter o avanço do Coronavírus em Goiás. Nesta semana os alunos reiniciaram o ano letivo com aulas não presenciais em todo o estado de Goiás. 



Logo após a determinação do governador Ronaldo Caiado, de suspender as aulas presenciais por um período inicial de 15 dias, como uma das medidas de segurança na disseminação do coronavírus, houve uma mobilização recorde em todo o Estado para que o processo de aprendizagem dos alunos não fosse tão prejudicado.


Sob o comando e orientações da secretária Fátima Gavioli, um comitê formado por técnicos, gerentes e superintendentes da Secretaria Estadual da Educação (Seduc) agiu rápido e mobilizou professores, diretores e coordenadores pedagógicos em todo o Estado com o objetivo de discutir e encontrar as melhores estratégias para que alunos do Ensino Fundamental e Médio recebessem, em casa, conteúdos e listas de atividades de diferentes disciplinas.



Mais informações: (62) 3201-3004

Comentários