Cotidiano

Desarticulado grupo suspeito de roubar mais de R$ 5 milhões em cargas de alimentos no Entorno do Distrito Federal

diario da manha
Foto: Divulgação/Polícia Civil

Treze pessoas suspeitas de integrar uma organização criminosa especializada no roubo de cargas foram presas durante operação deflagrada pela Polícia Civil, nesta quinta-feira, 25, em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. A ação, batizada de “Apocalipse XVII”, é realizada pela Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar) após quase seis meses de investigação.

Segundo a corporação, o grupo foi detido no momento em que fazia o motorista de um caminhão refém dentro de uma propriedade rural, após tomar cerca de 23 toneladas de alimentos que ele transportava. Na ocasião, houve troca de tiros com os policiais, mas felizmente ninguém se feriu.

Foto: Divulgação/Polícia Civil

O delegado responsável pelo caso, Alexandre Bruno Barros, informou que durante o período da investigação, os prejuízos pelos crimes praticados pela quadrilha ultrapassam R$ 5 milhões. Segundo ele, os integrantes do grupo, usavam a fazenda onde foram detidos para esconder as cargas roubadas.

Entre os presos estão duas mulheres e 11 homens. Até o momento, não há informações sobre quando ocorrerá a audiência de custódia dos suspeitos. A identidade dos envolvidos também não foi divulgada.

Barros explicou que ao longo do monitoramento do grupo percebeu que eles agiam principalmente em rodovias do Entorno, mas passaram a cometer os crimes em Brasília após ações policiais no Entorno coibirem esse tipo de crime. O investigador ainda destaca que há indícios de que os receptadores das cargas roubadas são de Goiás, mas a suspeita ainda segue em apuração.

A polícia informou que alguns dos detidos aceitaram colaborar com as investigações, dando o nome dos receptadores dos produtos roubados. A suspeita é de que participam do esquema cerca de dez mercados e supermercados no crime.

Todos os envolvidos serão indiciados por roubo, porte ilegal de arma de fogo, restrição de liberdade, receptação qualificada e associação criminosa.

Comentários