Cotidiano

Força-tarefa policial fiscaliza boates e motéis de Aparecida de Goiânia

diario da manha
Foto:Divulgação/PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em parceria com a Polícia Civil (PCGO), Juizado da Infância e Juventude de Aparecida de Goiânia e Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, realizou na sexta-feira, 23, uma operação em combate à exploração sexual de crianças e adolescentes, bem como o tráfico de pessoas em Goiás.

Ao todo, 60 profissionais que participaram da ação, passaram por um curso de capacitação que definiu cada um dos crimes, as formas de enfrentá-los e quais as medidas que deveriam ser tomadas em relação às pessoas resgatadas.

Flagrantes

A operação começou no início da tarde de ontem, durante fiscalização da PRF em motéis localizados às margens da BR-153, na Região Metropolitana de Goiânia. Na ocasião, foi flagrada uma menor, de 16 anos, em situação irregular dentro de um dos estabelecimentos.

Foto:Divulgação/Polícia Civil

O motel foi multado por infringir norma administrativa prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente. Apesar disso, não ficou comprovado exploração sexual, segundo a corporação.

Ainda durante a tarde, dentro da casa de shows Estância MM, foi constatada a presença de outra menor, de 17 anos, que alegou estar ali para a prestação de serviços sexuais por estar precisando de dinheiro.

Após fiscalização, a adolescente apresentou uma identidade falsificada, passando-se por uma pessoa de 20 anos. Ela contou que foi levada para o local por um motorista, que presta serviço para a casa de shows, a pedido da telefonista do local. A proprietária da casa, a telefonista, o motorista e a menor foram encaminhados para 1º DP da Polícia Civil de Aparecida para prestarem depoimento.

A PRF informou que entrou em contato com os familiares da garota, que ficaram desesperados por não saberem que a filha estava na boate, pois ela havia dito que iria para a casa de uma amiga. A casa de shows foi autuada pelo Juizado da Infância e Juventude de Aparecida.

Durante a ação, foram flagrados também alguns jovens com pequenas porções de drogas e crianças em situação de vulnerabilidade. Policiais contaram que um deles, de 12 anos, se encontrava às margens da rodovia, em um posto de combustíveis utilizando o entorpecente conhecido popularmente como “loló”, juntamente com outro rapaz de 18 anos. O menor foi entregue ao Juizado e posteriormente encaminhado para a família.

Irregularidades

Ao longo da operação, ruas às margens da BR-153 também passaram por  fiscalização e em uma delas, foi encontrada uma travesti, de 50 anos, com mandado de prisão em aberto por crime de roubo cometido no estado do Tocantins. Ela foi detida e também encaminhada para delegacia.

A ação teve desdobramento durante a noite, quando outras 15 casas de shows foram fiscalizadas. Em uma delas, localizada no Anel Viário de Aparecida de Goiânia, a proprietária foi autuada pelo crime de “manter casa de prostituição”.

Foto:Divulgação/PRF

A PRF explica que a prática não é crime, mas fomentá-la é um delito grave, uma vez que, as profissionais do sexo encontradas no local, relataram que além dos shows, mantinham relações sexuais com os clientes nos quartos do próprio estabelecimento.

Conscientização

Os policiais informaram que durante a força-tarefa foram realizadas ações preventivas com pequenas palestras explicando para os funcionários dos motéis e casas de shows sobre as proibições de presenças de crianças e adolescentes nestes ambientes, bem como a proibição de venda de álcool, explicações sobre o tráfico de pessoas, além de todas as formas de se denunciar.

Participaram da operação equipes das policiais civis da 2ªDRP, DEPAI, DPCA. DEAM e GENARC de Aparecida, além de policiais rodoviários federais, agentes de proteção do Juizado da Infância de Juventude, Ministério Público do Trabalho e Grupo de Combate ao Tráfico de Pessoas.

Foto:Divulgação/Polícia Civil

Comentários

Mais de Cotidiano