Cotidiano

Astrólogos preveem revolução popular e queda da Globo até 2020

diario da manha

O Brasil vive uma mudança de ciclo. Assim como os 21 anos de ditadura militar foram um período de  dominação das elites e de entorpecimento de consciências, o próximo período promete ser de questionamentos intensos sobre a forma sob a qual a nossa sociedade está organizada. É o que avaliam astrólogos das mais diversas correntes. As previsões para os próximos trinta anos é de muios embates entre o povo e os seus governantes e poderes constituídos, sejam os governantes, o Congresso Nacional, o Judiciário e a mídia. A Rede Globo, que sempre exerceu grande influência sobre os brasileiros – sendo protagonista dos golpes de 1964 e de 2016, estará também em xeque e deve perder influência. É o que visualiza a astróloga Débora Mechica, ao analisar o mapa astrológico do Brasil.
No seu canal no Youtube denominado “Encontros Astrológicos”, Mechica analisou o mapa astrológico do Brasil no dia 05 de abril último. Ela informa que naquele dia, a partir das 16h49, o sol progredido no mapa do Brasil deixou a casa de Peixes e entrou na casa de Áries, esta mudança signfica que o país saiu de um período de letargia e autoilusão para um período de fortes questionamentos.
Na astrologia um Sol Progredido, por aspecto, no geral implica numa influência significativa no período, pelo fato de assinalar acontecimentos importantes na vida de uma pessoa ou de um povo. Nos últimos 30 anos o Brasil teve o sol progredido em Peixes, a partir do dia 05 último, o o sol progride de Peixes para Áries, e isto tende a tornar as pessoas mais aguerridas. Em se tratando de um país, este perído inicial de transição representa que o povo ainda tem a sensibilidade e a compaixão características da casa de Peixes, mas a coletividade passa a tomar consciência de que que é preciso lutar para que mudanças aconteçam.

Mídia e poder

De acordo com Débora Mechica, nestes últimos 30 anos em que o Sol esteve na casa de Peixes o Brasil ficou meio que perdido, sem compreender o significado das coisas que estavam acontecendo no nosso. Isto se deve, segundo Mechica, porque neste período houve grande influência do poder poder das grandes mídias e de redes de comunicação, de informação. “Se olharmos o mapa da Rede Globo, iremos constatar que a Globo tem um grande poder sobre o Brasil, pelo seu poder de comunicação e por conseguir iludir a massa, entreter, ludribriar, iludir o povo com suas historias. Se olharmos o mapa da Rede Globo vamos constatar o poder de influência que ela tem sobre o Brasil. Este sol saindo de peixes pode significar o Brasil saindo de uma inércia,de uma posição passiva”, explica.
Em seu estudo a astróloga ressalta que o Brasil ainda está passando por um momento de total confusão mental, que é causado pela influência demasiada de uma mídia não consegue ou não quer informar, e pelo grande número de dados que são lançados nas redes sociais que na verdade passam põs-verdades, ou seja, informações não confiáveis, que influenciam as pessoas de maneira negativa. Esta influência, no entanto, está com os dias contados, e segundo suas previsões, o próximo período vai colocar as pessoas cada vez mais críticas aos governos e aos modos de dominação que estes governos exercem através da mídia.
“O gigante vai acordar”, prevê Mechica, ressaltando que diferentemente das marchas de 2013, quando as pessoas foram impulsionadas pela mídia a irem para as ruas sem saber ao certo sob o que estavam protestando, os proximos anos serão de intesa mobilização contra as o poder constituído e tudo o que representam hoje o autoritarismo e a exacerbação que partem do Executivo, Legislativo, Judiciário e da mídia.
A astróloga adianta que os próximos três anos serão de intensa mobilização e debate e que o ano de 2020 pode ser marcado por grandes mudanças e revoluções populares.

Grandes conflitos

Débora Mechica não está sozinha em relação as suas previsões sobre as influências dos astros no céu do Brasil. Durante seminário realizado em São Paulo neste mesmo período no ano passado, vários astrólogos se debruçaram sobre as influências do Sol, Peixes, Plutão e Saturno sobre os destinos do Brasil e da humanidade. O resumo é o seguinte: Marte progredido mudando a economia brasileira, um novo ciclo Júpiter-Saturno em signos de Ar e o risco de uma crise mundial em 2020. Aperte os cintos: a Astrologia Mundial promete fortes emoções para os próximos cinco anos
Presidenta do SINARJ (Sindicato dos Astrólogos do Rio de Janeiro), Celisa Beranger foi uma das palestrantes do evento promovido pela Gaia Astrológica, que já está na sua décima-sétima edição.Ela fez uma detalhada análise de todos os ciclos de planetas geracionais atuantes até a próxima década.
Na visão da presidente do SINARJ, a quadratura Urano-Plutão, mais ativa entre 2012 e 2015, continua a atuar fortemente por mais alguns anos, constituindo-se no mais importante acontecimento astrológico da década até a ocorrência da tripla conjunção Júpiter-Saturno-Plutão em Capricórnio/Aquário, em 2019-2020. Contudo, o que mais despertou o interesse da plateia foi o gráfico indicando a evolução do índice cíclico planetário de Gouchon. Trata-se de um índice que expressa o grau de proximidade ou de afastamento dos planetas entre si.
Segundo Celina, quanto mais os planetas geracionais estiverem agrupados numa estreita faixa do zodíaco, mais baixo é o índice e maior a possibilidade de ocorrências de eventos extremos, normalmente relacionados a crises de grandes proporções. A última grande “depressão” do gráfico ocorreu no período 1982-1983, e coincidiu com uma radicalização geral das divergências políticas internacionais. Foi, por exemplo, o período da Guerra das Malvinas entre Inglaterra e Argentina e de genocídios contra refugiados libaneses no Oriente Médio. No século XXI, o ponto mais baixo do gráfico corresponde ao ano de 2020, que deverá ser crítico sob vários aspectos. É possível pensar não apenas em sérios conflitos político-militares como também num momento de agravamento da crise ambiental, com possibilidade de escassez generalizada de recursos naturais.

Economia e corrupção

Rui Sá Silva Barros, astrólogo e historiador também foi um dos palestrantes do seminário astrolóico. Segundo Rui a quadratura Saturno-Netuno, com Netuno entrando em breve em oposição ao Sol da Independência do Brasil, não permite prever uma solução rápida e objetiva para as duas grandes questões nacionais do momento: a crise político-institucional (com destaque para a corrupção) e o desequilíbrio das contas públicas. Mais provável que as indefinições se arrastem por pelo menos mais dois anos, desembocando na eleição presidencial de 2018.
Por outro lado, Marte progredido chega agora à conjunção com Plutão radical na casa 2 do mapa da Independência (a economia), ao mesmo tempo em que forma quadratura com Urano e Netuno radicais na casa 11 (o Congresso e os partidos políticos). Há, portanto, indicadores reais de que a maneira de lidar com o dinheiro público estará em evidência nos próximos anos, com tendência para fortes mudanças.
Débora Mechica complementa este raciocínio salientando que quando a Lua entrar em Leão a partir de 2018, 2019 e 2020, o povo vai se movimentar, e uma grande reviravolta e uma grande revolução podem acontecer no Brasil. “É a soma do Sol entrando em Áries, passando por Pultão, e a Lua entrando em Leão, vai trazer uma grande transformação, para mudar, para pegar toda esta estrutura que está aí e fazer cair”, adverte.
Mechica observa que forças grandiosas estarão operando nas próximas décadas.  “Durante os próximos 30 anos o Sol progressivo do Brasil estará em Áries,  a isto se soma os 36 anos de regência de Saturno sobre o planeta. Este conjunto vai ajudar a estruturar tudo que a influência de Plutão está derrubando, implodindo no Brasil. E a gente tem 30 anos de energia planetária, do cosmos para mudarmos o Brasil, para transformamos o nosso país”, frisa. “Cabe a nós, o povo, mudar este quadro também”, conclui.(Com informações do site Constelar e Encontros Astrológicos)

Comentários