Cotidiano

Alunos da UFG interrompem assembleia dos professores que decidiria sobre greve

diario da manha
Foto: Divulgação/Adufg

Nesta quarta-feira (9/11), estudantes que ocupam as instalações da Universidade Federal de Goiás (UFG) interromperam a assembleia geral na qual seria decidido sobre a greve dos professores da instituição. Na ocasião, 688 professores estavam presentes, o que seria a maior assembleia realizada este ano no país.

Durante a assembleia, os manifestantes estiveram na entrada do Centro de Eventos da UFG, no campus Samambaia. Eles entraram no salão pouco antes dos docentes terem decidido pela não participação estudantil por 215 votos contra 206. “Esperamos hoje que vocês sigam o nosso exemplo. Lutem conosco. Assumam suas posições”, disseram os estudantes em jogral.

Conforme a Adufg, o presidente do sindicato, Flávio Alves da Silva, foi empurrado pelos estudantes e conduzido por seguranças para sair do local. Os estudantes entraram no Centro de Eventos enquanto a professora Rosana Borges falava. Ela afirma que os docentes já tinham decidido por não entrar em greve. “Desrespeitaram essa decisão porque tudo indicava que a greve não seria aprovada”, conta.

O presidente da Adufg afirmou que não haverá convocação para nova assembleia este ano, mas reafirmou que haverá paralisação na próxima sexta-feira (11/11) em protesto contra a Proposta de Emenda Constitucional 55 em tramitação no Senado Federal que prevê o teto dos gastos públicos. “Vamos participar ativamente com atos contra a PEC 55 e todas as medidas desse governo que estão ameaçando a educação e o serviço público”, salientou.

Foto: Divulgação/Adufg
Foto: Divulgação/Adufg

 

Comentários