Cotidiano

Ciência em alta

Cientistas brasileiros figuram na lista de mais influentes do mundo

diario da manha

Os brasileiros estão bem representados no mundo afora, em razão de quatro pesquisadores entrarem para a lista de cientistas mais influentes do mundo. A lista conta com 3.126 cientistas considerados “mais brilhantes”, de acordo com o relatório “The World’s Most Influential Scientific Minds 2015” (As mentes científicas mais influentes do mundo 2015), da agência Thomson Reuters.

A decisão tem como base nos artigos mais citados ao longo de onze anos, entre 2003 e 2013. Os pesquisadores influentes correspondem cerca de nove milhões cientistas contabilizados pela agência Thomson. De acordo com a agência, esses cientistas são responsáveis por 1% dos artigos mais citados em 21 áreas de pesquisa. E quase a metade dos pesquisadores estão vinculados a instituições sediadas nos Estados Unidos.

Os cientistas que representam o Brasil no ranking são: Paulo Artaxo, do Departamento de Física da Universidade de São Paulo, que ficou em 148 pesquisadores mais citados na área de Geociências; Álvaro Avezum, do Instituto de Cardiologia Dante Pazzanese (Medicina Clínica); Ado Jorio, da Universidade Federal de Minas Gerais, que ficou entre os 119 mais citados na área de física; e Adriano Nunes-Nesi, da Universidade Federal de Viçosa (Ciências das Plantas e dos Animais).

O estudo também identificou os pesquisadores mais populares e responsáveis por 0,1% dos artigos mais citados no mundo. Entre os 19 nomes dessa listagem, o pesquisador Stacey B. Gabriel, do Broad Institute of MIT e Harvard, lidera pelo segundo ano consecutivo, com vinte e cinco artigos muito populares, também sobre o projeto Atlas do Genoma do Câncer.

Entre as 21 áreas de pesquisa mais citadas, as maiores são as das Ciências da Vida: Medicina Clínica, Biologia e Bioquímica e Biologia Molecular e Genética. Já as áreas de Ciências da Computação, Matemática e Economia e Negócios reúnem um número menor de pesquisadores que produzem, proporcionalmente, menos artigos.

(Com informações da Agência FAPESP)

 

Cientista Álvaro Avezum, do Instituto de Cardiologia Dante Pazzanese, da área de medicina clínica. (Foto: Reprodução/Youtube)

O pesquisador Ado Jorio, da Universidade Federal de Minas Gerais, ficou entre os 119 mais citados na área de física. (Foto: Reprodução/Youtube)

O cientista Adriano Nunes-Nesi, da Universidade Federal de Viçosa, da área de Ciências das Plantas e dos Animais. (Foto: Karine Mendes/ Caixa Preta UFV)

Comentários