Cotidiano

Jovem  morre após aplicar hidrogel no pênis

Riscos do uso da substância são vários: goiana morreu em 2014 após usá-la em bumbum. Andressa Urach também sofreu com infecção

diario da manha

Não bastasse o caso da goiana Maria José Medrado de Souza Brandão, 39 anos, que morreu após fazer uma aplicação de hidrogel em uma clínica estética de Goiânia, para aumentar o tamanho do bumbum, e também o drama da modelo Andressa Urach, um rapaz de 18 anos morreu na sexta-feira em Ribeirão Preto (SP) supostamente por motivo semelhante. Só que ele teria aplicado o hidrogel no pênis.

O boletim de ocorrência afirma que o jovem injetou a substância e foi imediatamente encaminhado à Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas (HC-EU). Em seguida, ele teve insuficiência respiratória aguda, sofreu uma parada cardiorrespiratória e morreu. O hospital confirma que o jovem teria aplicado hidrogel no pênis. A Polícia Civil começa hoje a colher informações sobre a morte do rapaz. O corpo do jovem foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), que colheu informações sobre as causas de morte e que serão anexadas ao relatório.

Após grave infecção, a modelo Andressa Urach decidiu mudar, inclusive, de vida, procurando se aproximar de Deus e igrejas. Ela sofreu grave infecção devido ao uso do produto.

Formado 98% por água e com a possibilidade de ser absorvido pelo corpo após dois anos, o hidrogel oferece riscos quando colocado incorretamente. Um dos problemas mais comuns é o deslocamento: o produto é injetado no bumbum, mas vai para a perna. Outro risco é a linfangite crônica (inflamação nos vasos linfáticos).

A aplicação é ato exclusivo de médicos, mas a goiana que morreu após o uso teve a aplicação realizada por uma falsa biomédica.

Comentários