Cidades

Após reclamações de cidades goianas, Coronavac vai ter bula revisada

Cidades goianas e de outros 11 estados reclamaram da quantidade nos frascos das duas últimas remessas enviadas para campanha de vacinação contra Covid-19

diario da manha

Após prefeituras de cidades goianas e de 11 estados reclamarem da quantidade de doses recebidas menores do que a indicada nos frascos da Coronavac, o Instituto Butantan afirmou que vai revisar a bula do imunizante.

Os problemas referentes aos municípios goianos foram relatos na última quinta-feira, 8, e ocorreu após a entrega das duas últimas remessas do medicamento, conforme informou o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Goiás (Cosems).

Em resposta a quantidade menor enviada nos frascos, o Butantan afirmou que pode ter ocorrido perda de doses durante o processo de aspiração do líquido dentro do frasco, e que o uso de seringas e agulhas não adequados, podem causar a perda do imunizante.

“Vamos revisar a bula e indicar a seringa correta para utilização, e também a aspiração correta, para orientar os profissionais de saúde da forma mais rápida. Essas são as duas principais hipóteses para a perda do imunizante”, informou o gerente de qualidade do Butantan Arthur Nunes.

Conforme o medicamento é enviado, os frascos envasados tem o equivalente a 5,7 ml da Coronavac. O paciente recebe uma quantidade de 0,5 ml, e que deveria ocasionar a sobra de 0,7ml, que é equivalente a uma dose extra. Entretanto, em Goiânia e em outras cidades do país, não foi o que ocorreu com as últimas doses do imunizante.

O Secretario de Saúde de Goiânia, Durval Pedroso, afirmou em entrevista ao portal de notícias G1, que só na capital foram registradas 4.016 doses pelo fato da quantidade ser menor do que a indicada nos frascos do imunizante.

Leia também:

Comentários