Coronavírus

Em nova denúncia, enfermeira é flagrada aplicando vacina sem dose, em Goiânia

Mediante o registro do segundo caso, o SMS afirma ter adotado um protocolo de segurança na vacinação contra a Covid-19 para evitar esse tipo manipulação durante a aplicação do imunizante

diario da manha

Mais um caso de vacina que não foi injetada em aplicação foi denunciado na manhã desta quinta-feira (18). Um vídeo gravado pelo familiar de um idoso mostra quando uma enfermeira coloca agulha no braço do aposentado, mas não injeta o imunizante. O flagrante ocorreu durante a campanha de vacinação na Área 1 da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC), em Goiânia.

Na gravação, o filho do policial civil aposentado Osvaldo Peres, de 84 anos, percebe que o líquido não foi injetado na seringa aplicada no pai e questiona a profissional, que é parceira da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Vídeo mostra novo flagrante de falsa aplicação de vacina contra Covid-19

De acordo com Leonardo Peres, 45, ele e o pai compareceram ao local de vacinação em drive thru às 9h desta manhã, em que após passarem por triagem foram encaminhados à vacinação. Ele gravava o procedimento, que até então seguia dentro da normalidade, até que percebeu que a vacina não foi injetada na aplicação. Após isso, a enfermeira reaplicou a vacina, dessa vez com o líquido.

Protocolo de segurança da SMS

Sobre o ocorrido, a Secretaria de Saúde de Goiânia, informou que a tecnica de saúde que aplicou a dose é vinculada à Associação dos Funcionários do Fisco do Estado de Goiás (Affego-Saúde), instituição parceira na campanha de vacinação contra covid-19.

Ainda de acordo com SMS, o episódio será investigando para tomar as medidas cabíveis. Mediante o registro do segundo caso, a pasta afirma ainda ter adotado um protocolo de segurança na vacinação contra a Covid-19.

Seguindo o protocolo, os enfermeiros e técnicos de enfermagem passarão a trabalhar em dupla, sendo que um deles mostra a seringa antes do preparo e também após a aplicação da dose para a pessoa que será vacinada e o acompanhante. 

Outro caso

O ministério Público de Goiás já investiga um caso semelhante que ocorrreu no último (10) também em Goiânia. A enfermeira foi afastada das funções e corre risco de perder registro profissional, segundo Conselho Regional de Enfermagem (Coren-GO). De acordo com a SMS, profissional pode ter cometido “erro involuntário”.

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Online www.dm.jor.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.


Comentários