Brasil

Casos de Covid-19 no Brasil aumentou na campanha eleitoral, diz médico

Houve também um relaxamento, com abertura de estabelecimentos que não deveriam abrir, diz o médico

diario da manha

A campanha eleitoral no Brasil pode ser apontada como uma grande vilã para os casos de Covid-19 ter aumento de contaminação nos últimos dias, diz o médico sanitarista Gonzalo Vecina Neto, fundador e ex-diretor – presidente da Anvisa ( Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e professor da USP ( Universidade de São Paulo).

De acordo com o médico, o movimento de pessoas nas ruas pedindo votos, aliado aos planos de relaxamento da quarentena definidos pelos governos, contribuíram para que os hospitais em todo o Brasil voltassem a registrar aumento de internações.

Gonzalo Vecina, ainda destaca que a eleição não pode ser demonizada ” O comportamento das pessoas, o exercício da eleição não teve grande problema. Os cuidados que foram tomados foram bastante adequados. Mas a forma como foram conduzidas as campanhas eleitorais e toda permissividade, isso sim eu acho complicado”, destaca.

Na opinião de Vecina, além das multidões saindo pelas as ruas pedindo votos, não foi somente isso que contribuiu para o aumento de casos de covid-19 no país ” Como uma parte da campanha é feita no corpo a corpo, com certeza influenciou no aumento. Mas não é só isso. Houve também um relaxamento, com abertura de estabelecimentos que não deveriam abrir”, ressalta o médico.

Com essa nova alta de contaminação por coronavírus aqui no Brasil, o médico deixa um alerta a população ” Goste ou não goste, a maior parte do próximo ano será exatamente assim. Se a gente der moleza, o número de casos e de mortes vai continuar aumentando. Isso precisa ficar claro na cabeça das pessoas”, diz o médico.

Comentários