Coronavírus

'A Covid tirou o último abraço que poderia dar', diz Luciano Camargo sobre morte do pai

"Essa Covid tirou de mim o último abraço que eu poderia dar no meu pai. A Covid tirou o meu último abraço no meu pai, a despedida, e também tirou aquele abraço de conforto, que até agora não recebi", disse durante o programa "É de casa" deste sábado (28)

diario da manha
Foto: Reprodução/TV Globo

O cantor Luciano Camargo, que faz dupla com o irmão Zezé, falou ao programa “É de Casa” deste sábado (28) sobre a morte do pai, Seu Francisco. Por meio de um vídeo, ele disse que por cumprir quarentena em casa depois de contrair o novo coronavírus não pôde estar presente no velório. As informações são do portal GShow.

“Essa Covid tirou de mim o último abraço que eu poderia dar no meu pai. A Covid tirou o meu último abraço no meu pai, a despedida, e também tirou aquele abraço de conforto, que até agora não recebi”, disse.

O incentivador dos sertanejos, retratado no filme de 2005 “2 Filhos de Francisco”, morreu aos 83 anos após uma parada cardiorrespiratória na última segunda-feira (23), em um hospital particular de Goiânia.

Luciano lembrou que esteve com o pai uma semana antes do falecimento. Ele falou sobre a ocasião no matutino semanal da TV Globo. “No dia que descobri que estava com Covid, estava indo para a Goiânia. Da última vez que fiquei com ele, senti que era diferente. Senti que era o último abraço que estava dando no meu pai. Parece que eu já sabia que a gente não ia poder se despedir de verdade”, ressaltou.

Comentários