Coronavírus

Testes com vacina da Universidade de Oxford e AstraZeneca são retomados

A Autoridade Reguladora da Saúde de Medicamentos (MHRA) considerou segura a continuidade dos testes da vacina contra o coronavírus no Reino Unido. O prosseguimento dos testes no Brasil depende de liberação oficial. O pedido foi feito formalmente pela farmacêutica à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)

diario da manha
Foto: Reprodução

A empresa farmacêutica anglo-sueca, AstraZeneca, e a Universidade de Oxford anunciaram neste sábado (12) a retomada dos testes da vacina contra o novo coronavírus no Reino Unido. A Autoridade Reguladora da Saúde de Medicamentos (MHRA) considerou segura a continuidade dos testes. Eles foram interrompidos no última terça-feira (8) após uma voluntária apresentar reações adversas. A testagem da vacina, parceria das instituições, está na fase 3, a última antes da conclusão. As informações são do G1.

Conforme a reportagem, a continuidade dos testes no Brasil depende de liberação oficial. O pedido foi feito formalmente pela farmacêutica à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A vacina foi aplicada em 4,6 mil pessoas no país. Elas não tiveram reações. Outras 18 mil pessoas receberam as doses em todo o mundo, segundo o G1.

De acordo com comunicado da AstraZeneca “o comitê do Reino Unido concluiu suas investigações e recomendou à MHRA que os ensaios no Reino Unido podem ser retomados com segurança”.

“A AstraZeneca está comprometida com a segurança dos participantes do estudo e os mais altos padrões de conduta em estudos clínicos. A empresa continuará a trabalhar com as autoridades de saúde em todo o mundo e será orientada quanto a quando outros testes clínicos podem ser retomados para fornecer a vacina de forma ampla, equitativa e sem lucro durante esta pandemia”, acrescenta a farmacêutica, conforme a matéria.

Comentários