Coronavírus

Vacina do Butantan contra o coronavírus entra na terceira fase de testes

diario da manha

Foi anunciado nesta quinta-feira (9) pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB) que a vacina contra o coronavírus desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a Sinovac obteve autorização para iniciar a terceira fase de estudos clínicos.

Foi divulgado por Doria em seu perfil oficial do Twitter, informando que a autorização foi dada pela Conep (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa), do CNS (Conselho Nacional de Saúde). Nessa fase, a vacina poderá ser testada em um grupo maior de pessoas.

Pelo acordo com a Sinovac, 60 milhões de doses estarão disponíveis a partir de setembro, mas a distribuição só ocorrerá uma vez que a eficácia da vacina for comprovada e houver o registro.

A vacina teve o aval da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária na segunda-feira (6). O governo de São Paulo já havia dito que os testes da CoronaVac vão começar no dia 20 de julho. Somente profissionais da saúde vão participar dessa fase de testes e as inscrições abrem na próxima segunda-feira (13).

Serão envolvidos nove mil voluntários no estudo clínico distribuídos nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná, além do Distrito Federal. Parte delas receberá a vacina e outro grupo deve receber um placebo, sem efeito. O objetivo é verificar se há o estímulo à produção de anticorpos para proteção contra o vírus.

Expectativa

Na terça-feira (8), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse à CBN que acredita que a vacina já estará disponível no começo do ano que vem. Covas classificou a vacina como uma “nova esperança” e disse que ela está numa fase adiantada de seu desenvolvimento.

De acordo com ele, os estudos preliminares mostram que ela consegue dar proteção acima de 90% aos indivíduos. “Particularmente estou muito otimista em relação à disponibilização dessa vacina aqui pro Brasil no final desse ano, começo do ano que vem”, disse.

Com informações do Site Uol

Comentários