Coronavírus

Região Sudoeste de Goiás tem maior taxa de mortes por Covid-19 no Estado

Em um mês, a região que tem Rio Verde como sede, passou de 1,2% para 12% das mortes pela Covid-19

diario da manha
Foto: Reprodução/ Wildes Barbosa

Com o avanço do coronavírus em Goiás, a taxa de mortalidade deixou de se concentrar apenas na Região de Saúde Central, onde está Goiânia e cresce em outras partes do Estado. Goiás possui 18 regionais de saúde, no início de junho, 40% das mortes estavam na Região Central, hoje, o aumento de óbitos por Covid-19 se concentra na Região Sudoeste I, cuja sede é Rio Verde.

Entre o dia 31 de maio e 30 de junho, a região passou de 2 para 71 mortes e saiu da estatística de 1,2% para 12% de óbitos em Goiás. Nesse mesmo período, o Estado passou de 172 para 590 mortes.

De acordo com os dados da Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO), a Região Sudoeste I tem a maior taxa de mortos a cada 100 mil habitantes, com 16,9. Na segunda colocação está a Região Central, com a taxa de 12,2. No Brasil, o índice já chega a aproximadamente 30 mortes a cada 100 mil habitantes.

Pico de mortes

A Região Sudoeste I tem cerca de 420 mil habitantes em 18 municípios, sendo que nove já tiveram pelo menos uma morte confirmada por coronavírus. A cidade de Rio Verde, quarta maior do Estado, possui o maior número de mortes pela doença proporcional à população com mais de 100 mil habitante. O município tem 59 óbitos por Covid-19, conforme dados da SES-GO e 69 de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da cidade.

O médico e coordenador do Centro de Operações de Emergências (COE) municipal de combate ao coronavírus, Wellington Carrijo, explicou que o número elevado de mortes em Rio Verde e consequentemente na Região Sudoeste I têm duas causas: maior testagem da população e diferença no tempo epidemiológico em relação à outras cidades de Goiás.

Ainda segundo Carrijo, o município tem realizado cerca de 50 testes diários terceirizados e outros 50 na rede privada. Todos do tipo RT-PCR, considerado o mais confiável. A alta testagem, segundo o médico, reflete na alta taxa de mortalidade em Rio Verde, de 1,2% dos casos confirmados. Em Goiânia o índice é de 2,5% e em Goiás 2,2%.

“Quando você testa, você acha. A subnotificação no Brasil é clara. Todo óbito a gente colhe exame. Isso pode sim ter aumentado”, explica Carrijo.

O primeiro caso de Covid-19 em Goiás foi em Rio Verde, junto de Goiânia. Foi também o primeiro município a abrir um Hospital de Campanha e adotar o escalonamento das atividades econômicas, alternando paralisação e abertura do comércio de 14 em 14 dias.

Carrijo avalia que Rio Verde está em um estágio mais avançado da pandemia e mais perto do pico de mortes. “Acredito que a gente está na frente do Estado três semanas e a gente está chegando no pico. A gente vai desacelerar óbitos na frente do Estado”, conclui.

*Com informações do jornal O Popular*

Comentários