Coronavírus

Técnica de enfermagem do Hugo morre vítima da covid-19

A unidade de saúde afirmou que essa foi a primeira morte de um profissional da unidade vítima da doença

diario da manha
Foto: Reprodução

A Técnica de Enfermagem Marilda dos Reis Costa, de 64 anos, morreu nesta sexta-feira (26/6) em decorrência de complicações causadas pela covid-19. Marilda trabalhava no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) e estava afastada das funções após testar positivo para a doença.

A profissional de saúde, é a primeira morte de colaboradores da unidade de saúde, registrada pela unidade. O DM Online entrou em contato com a assessoria de imprensa do Hugo, que por meio de nota confirmou a informação e que essa foi a primeira morte de um profissional ativo da unidade provocada pela doença.

De acordo o Hugo, Marilda atuava na unidade desde outubro de 1994 e testou positivo para Covid-19 no dia 12 de junho deste ano, quando foi afastadas das funções, para cumprir o isolamento social. Todavia, o quadro da técnica de enfermagem se agravou e a mesma foi encaminhada para o Hospital de Campanha (HCamp), infelizmente Marilda não resistiu e veio a óbito na madrugada de hoje.

Confira a nota:

NOTA

O Hospital de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz (Hugo) esclarece que tem tomado todas as medidas preconizadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria Estadual de Saúde. A finalidade é manter o funcionamento dos serviços que são essenciais à população, além de garantir a integridade física e psicológica de seus colaboradores.

Aqueles que podem desenvolver suas atividades de maneira remota, foram afastados e desenvolvem teletrabalho (home office). O pessoal que tem idade igual ou superior a 60 anos, ou apresenta algum tipo de comorbidade, é colocado fora da área assistencial, nos casos em que não há possibilidade de home office.

A técnica em enfermagem Marilda dos Reis Costa, de 64 anos, era uma das colaboradoras do Centro de Material e Esterilização (CME), departamento onde quem trabalha não tem contato com pacientes ou outras equipes assistenciais direta.

O Hugo reforça o lamento pela morte da colaboradora, a primeira que estava em atividade e foi vitimada fatalmente por COVID-19, provocada pelo coronavírus. O hospital se solidariza com seus familiares, amigos e colegas.

Comentários