Coronavírus

Internações por Covid-19 sobe 41,3%, em Goiás

Na última semana, o HMMCC, que tem 30 leitos de UTI, ficou lotado durante algumas horas

diario da manha

O número de internações por Covid-19, de casos confirmados ou suspeitos na UTI ou na enfermaria, subiu no mínimo 41,3% na última semana. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES-GO), o total de leitos ocupados passou de 155 para 219, entre os dias 23 e 30 de maio.

Na última semana, o Hospital e Maternidade Municipal Célia Câmara (HMMCC), que tem 30 leitos de UTI, ficou lotado durante algumas horas. O Hospital das Clínicas da Universidade de Goiás (HC/UFG), tinha somente uma vaga de 10 leitos disponíveis e o Hospital de Campanha (HCamp) de Goiânia, com 40 leitos tinha apenas sete disponíveis.

Além da rede pública, dos 100 leitos disponibilizados pelos hospitais filiados à Associação dos Hospitais Privados de Alta Complexidade do Estado de Goiás (Ahpaceg), a ocupação passou de 38% para 45%. Teve um pico de 52 vagas ocupadas no último dia 27. Na enfermaria, foram 42 leitos preenchidos.

A última terça-feira (26), foi o dia mais crítico de internações em leito de UTI quando o total de pacientes da covid-19 chegou a 135. Esse número foi para 103 no último sábado (29). Segundo o Diretor Geral do HCamp, Guillermo Sócrates, metade do perfil de internações são de pessoas vindas do interior do estado.

O HCamp de Porangatu, o Hospital Nasr Faiad de Catalão, e o Hospital Regional de Luziânia (HRL), somam 32 vagas. No HRL, dos 10 leitos de UTI disponíveis, cinco estavam ocupados, no último domingo (31). No Hospital de Urgência de Trindade (Hutrin) dois dos seis leitos disponíveis estavam ocupados.

O Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia (Hmap) tem sete dos 30 leitos de UTI ocupados com pacientes da covid-19. Já no Hospital Garavelo, também em Aparecida, todos os 13 leitos estavam vazios.

Aumento de leitos para pacientes com covid-19

Nesta segunda (1º), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia promete abrir mais 10 vagas no HMMCC. Após a lotação do último dia 27, a maternidade observou uma redução no número de pacientes em situação grave. O Hcamp da capital também deve oferecer mais leitos de UTI.

Guillermo afirma que houve uma busca maior por internações desde o fim de semana anterior, mas garante que a estrutura da unidade é suficiente para atender a maior demanda.

O HCamp é uma unidade de referência para casos de Covid-19 e recebe muitos pacientes com síndrome respiratória aguda grave (Srag) sintoma mais grave e alarmante da doença. Os casos que dão negativo para o coronavírus são transferidos para outras unidades da rede.

*Com informações do O Popular

Comentários