Coronavírus

Projeto idealizado por voluntários vai ajudar pacientes na fila por leitos de UTI

diario da manha

Uma equipe formada por voluntários do Distrito Federal (DF) desenvolveu um modelo de respirador mecânico de baixo custo como recurso hospitalar para ajudar pacientes em situação de internação devido a infecção de coronavírus.

O aparelho que é fabricado tem o custo de R$ 1 mil, porém, não possui a mesma eficácia que um respirador tradicional, embora tenha o valor de contribuir no pronto atendimento até que um aparelho padrão fique disponível.

“A relevância do equipamento é atender pacientes em situação de emergência, podendo ser utilizado em casos de falta de equipamentos disponíveis”, explica o inventor e desenvolvedor do equipamento, Hatus Souza Alves, de 33 anos.

O valor desse respirador chega a ser simbólico diante de um respirador padrão, que ultrapassa o montante de R$ 50 mil. Apesar disso para entrar em ação, o modelo ainda precisa ser avaliado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo Hatus, se o projeto for aprovado, o objetivo é oferecer gratuitamente o protótipo produzido.

O Equipamento foi criado pelo grupo Brasília Maior que a Covid (BMC), arquitetado por voluntários das áreas de engenharia, designer e profissionais da saúde. O aparelho é produzido pela equipe e viabiliza controlar a frequência respiratória e pressão do paciente.

Em entrevista ao G1 Heleno Lourezo, conselheiro central do BMC relatou que até o presente momento, foram realizados testes apenas em simuladores, e conta que “todos foram bem-sucedidos”.

Comentários