Brasil

Desespero de presidiários com o novo coronavírus

diario da manha
Foto: Reprodução

Uma preocupação constante da Segurança Pública em todas as instâncias é como conter presos aglomerados em época de pandemia pelo coronavírus. Para inibir a proliferação de casos da doença em presídios do Rio de Janeiro, a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), proibiu que detentos que estejam com mais de 37,5°C de febre sejam aceitos nas cadeias do estado.

A determinação começou a ser efetivada na semana passada. Na última quinta-feira (14), um homem de 30 anos chegou a ficar preso dentro de uma viatura da Polícia Militar (PM-RJ), por pelo menos 24 horas, em frente à 146° Delegacia de Polícia, em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense. Ele foi preso por tráfico de drogas e estava com febre. Como não conseguiu atendimento médico, permaneceu detido dentro da viatura.

Segundo nota, a PM informou que o transporte de presos permanece sob a incumbência da Divisão de Capturas da Polinter para as unidades da Secretaria de Administração Penitenciária. Para a polícia, os agentes preenchem um formulário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em casos de presos que apresentam temperatura alta ou suspeita de Covid-19 e realizam a condução para o Hospital Penitenciário da Seap, em Bangu.

“Cabe esclarecer que desde o início da pandemia a Sepol vem distribuindo rotineiramente Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e álcool em gel, para todos os policiais civis. Outras medidas como higienização de unidades e viaturas também estão sendo realizadas”, destacou.

De acordo com a Polícia Militar e a SEAP, informaram que após alinhamento com a Polícia Civil, ficou definido que a entrada de presos que apresentem sintomas de contaminação pela Covid-19, tais como temperatura corporal acima de 37,5°C ou dificuldades respiratórias, será direcionada ao Pronto Socorro Geral Dr Hamilton Agostinho Vieira de Castro (PSGHA), localizado no Complexo Penitenciário de Gericinó, no bairro de Bangu, zona oeste da cidade do Rio. “Tal resolução conjunta terá validade enquanto perdurar o período de pandemia no Estado”, ressaltou.

Oito mortes no sistema prisional

Conforme a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária, até o momento 11 presos testaram positivo para Covid-19. Há três internos que foram infectados e se recuperam. Um deles estava no Presídio Ary Franco e saiu em liberdade concedida pela Justiça, no último dia 16.

Outros dois, um do Presídio Evaristo de Moraes e outro da Cadeia Pública Inspetor José Antônio da Costa Barros, passam bem e estão isolados dos outros detentos nas referidas unidades. Oito óbitos foram confirmados.

*Com informações do Uol

Comentários