Coronavírus

Idoso morto por Covid-19 tem velório e enterro abertos ao público em Cruzeiro SP

diario da manha
Foto: Reprodução/G1

O Ministério da Saúde pontuou que óbitos por coronavírus podem ser enterrados ou cremados, mas os velórios que juntem muitas pessoas em um ambiente fechado não são indicados. O protocolo recomenda que o caixão deve permanecer fechado e pessoas do grupo de risco da doença não participem das cerimônias. A prefeitura da cidade de Cruzeiro reconhece erro no procedimento.

O risco de contaminação pelo novo coronavírus assustou os moradores da cidade de Cruzeiro (SP), e ao menos 78 pessoas que participaram das cerimônias fúnebres do idoso de 85 anos, que morreu por Covid-19 já procuraram a prefeitura e foram orientados a ficarem em quarentena.

Embora ainda fosse aguardado o resultado oficial do teste para coronavírus, o atestado de óbito do paciente foi emitido pelo hospital como AVC e pneumonia, como a causa da morte. A prefeitura de Cruzeiro reconhece erro no procedimento e instaurou uma sindicância.

Ainda aguardavam a confirmação do diagnóstico por Covid-19

José João da Silva, 85 anos, foi internado depois de sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e passou 45 dias internado. No dia 9 de abril, ele recebeu alta, mas os médicos pediram que voltasse à Santa Casa porque o paciente teve contato com um infectado nas dependências do hospital, que morreu vítima do Covid-19.

Para a família, após o pedido, ele foi submetido a um teste rápido feito em um laboratório credenciado, que deu negativo. No dia 16 de abril, porém, ele não resistiu e morreu. No atestado de óbito emitido pela unidade de saúde consta como causa da morte AVC e pneumonia. Apesar de, segundo a Santa Casa, ainda aguardarem a confirmação do diagnóstico de coronavírus pelo Ministério da Saúde.

Conhecido por ser proprietário de um famoso balneário, o velório atraiu dezenas de pessoas de Cruzeiro e Lavrinhas. Sem qualquer informação da investigação de Covid-19, o corpo seguiu protocolo comum de óbito. Foi preparado na funerária e com velório aberto. Durante a cerimônia, a Vigilância Epidemiológica comunicou a funerária que havia recebido o resultado oficial e que o homem havia morrido por coronavírus.

Apesar disso, a retificação no atestado de óbito não foi feita e a família procurou a Polícia Civil para registrar o caso. Em um vídeo postado na rede social, Paulo da Silva, parente da vítima declarou que “foi uma falta de respeito com a gente, procuramos a polícia para registrar um boletim de ocorrência para que isso seja apurado”.

A Santa Casa declarou que só recebeu o resultado oficial do teste positivo para Covid-19 durante o sepultamento e informou a Vigilância Epidemiológica. A unidade de saúde afirma que segue o protocolo do Ministério da Saúde, mantendo o paciente em isolamento e com as equipes médicas e com os equipamentos necessários. O hospital considerou ainda que será aberta uma sindicância para apurar as medidas tomadas pelo hospital.

O secretário de saúde de Cruzeiro, Danilo Almeida Rezende, admite que houve um erro grave no procedimento. Para o secretário “a partir do momento que a gente soube dessa situação que o velório estava sendo aberto que a gente teve noção do ocorrido. Foi instaurada uma sindicância na Santa Casa para a gente avaliar em qual momento teve a falha no serviço. É uma falha grave que a gente vai ter que apurar para evitar novos acontecimentos dessa natureza”.

Risco de contaminação

Para a prefeitura de Cruzeiro, foi criado um call center para atender as pessoas que estiveram nas cerimônias e 78 pessoas foram orientadas a permanecerem em quarentena e buscarem atendimento médico se necessário. Elas são monitoradas pela Vigilância Epidemiológica. Na funerária, todos os funcionários que tiveram contato com a vítima foram colocados em isolamento.

“Isso é muito grave. Quem garante que os corpos que estavam junto com ele no Instituto Médico Legal (IML) não foram contaminados? Meus funcionários e todos que tiveram entorno da vítima e dos corpos que tiveram contato com ele estão em risco”, sustentou a responsável pela funerária em que a vítima foi velada, Cristiane Fernandes.

A morte do idoso foi registrada em Lavrinhas, mas todo atendimento dele foi feito em Cruzeiro. A morte foi o primeiro caso confirmado do novo coronavírus em Lavrinhas. Cruzeiro tem 3 casos, sendo uma morte. O telefone do call center é 08008789628.

*Com informações do G1

Comentários