Coronavírus

Farmácias são autorizadas pela Anvisa a fazer testes rápidos para covid-19

Decisão ainda precisa ser publicada no Diário Oficial da União para ter validade

diario da manha

Os testes rápidos para Covid-19 vão deixar de ser obrigatórios em hospitais e clínicas de saúde e poderão ser feitos também em farmácias, conforme decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovada nesta terça-feira (28).

A medida foi aprovada por unanimidade e em caráter temporário pela diretoria da agência, e deve durar durante a situação de emergência de saúde pública, decretado no 4 de fevereiro. A decisão passa a valer a partir da publicação da mesma no Diário Oficial da União (DOU).

É importante ressaltar que as farmácias podem se propor a fazer os exames de forma voluntária. Os estabelecimentos que tiverem interesse em realizar os testes, vão precisar ter um profissional qualificado durante o horário de funcionamento da farmácia.

O paciente vai fazer o teste para a Covid-19 no local e o resultado vai ser interpretado para um profissional de saúde, com outros dados do paciente submetido ao teste para a doença.

A medida vai auxiliar no diagnóstico e possui a finalidade de comprovar a contaminação pelo novo coronavírus e contar no número de casos confirmados pelo país. A decisão é pela fato de que o exame pode dar um falso negativo, pois o paciente pode estar no estágio inicial da doença e em razão dos baixos níveis de anticorpos de Sars-CoV-2 na amostra.

Para o presidente substituto da Anvisa, Antônio Barra Torres, a medida vai ser útil para diminuir a quantidade de indivíduos nos hospitais e reduzir a procura por serviços médicos em estabelecimentos públicos.

Conforme o diretor da agência, Marcos Miranda, as secretarias estaduais e municipais de saúde vão ter que se reunir com as farmácias para estabelecer um fluxo de informação sobre os resultados dos testes rápidos feitos nos estabelecimentos.

*Com informações do G1

Comentários