Coronavírus

Enfermeiro mata namorada médica depois de acusá-la de passar a covid-19

diario da manha

O enfermeiro Antonio De Pace, 28, assumiu ter matado a namorada, Lorena Quaranta, 27, por estrangulamento. Os dois moravam na Sicília, Itália, e trabalhavam em um hospital da região voltado para o tratamento de pessoas com coronavírus. O italiano acusou a médica recém-formada de ter transmitido a ele a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

De acordo com o Daily Mail, após o assassinato, Antonio teria ligado para a polícia confessando o crime e cortado os próprios pulsos. Segundo a imprensa italiana, as autoridades duvidam da versão do enfermeiro, já que os testes realizados nele e na namorada não deram positivo para o vírus .

Semanas antes, Lorena chegou a publicar em suas redes sociais um texto sobre a morte de 41 médicos italianos pelo coronavírus. “Agora, mais do que nunca, precisamos demonstrar responsabilidade e amor pela vida. Vocês devem demonstrar respeito por si mesmos, suas famílias e o país. Vamos ficar todos em casa. Vamos evitar que o próximo adoecer seja um ente querido ou nós mesmos”, escreveu a médica.

Reitora da universidade que Lorena cursou medicina, Salvatore Cuzzocrea disse ao Giornale di Sicilia que o diploma da futura médica será entregue à família como uma homenagem.

Comentários