Cidades

SC: Pastor mandou matar esposa para ficar com a amante, diz polícia

Investigação aponta que ao menos quatro pessoas planejaram a morte da mulher, sendo que o pastor teria sido o responsável por "orquestrar o crime"

diario da manha
Mariane Kelly dos Santos, 35, encontrada morta há duas semanas no Rio Itajaí-Açu em Navegantes(Foto: Arquivo Pessoal)

O marido de Mariane Kelly dos Santos, 35, encontrada morta há duas semanas em Navegantes, município de Santa Catarina, foi quem planejou e ordenou o assassinato da mulher, segundo informou o delegado de Itajaí, Sérgio Sousa.

Em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (22), o delegado disse que as investigações ainda não foram concluídas. Porém, a Polícia Civil já identificou todos os envolvidos, sendo que três foram presos. O pastor teria sido o responsável por “orquestrar o crime”.

A Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Itajaí, aponta que o homicídio foi planejado em conjunto com a amante do marido de Mariane porque os dois queriam ficar juntos sem a interferência dela. Além disso, o casal almejava ficar com os bens, pertences e dinheiro da vítima.

O corpo de Mariane foi encontrado por pescadores no Rio Itajaí-Açu no último dia 9. Ela estava com as mãos amarradas e com o corpo completamente esfaqueado.

De acordo com Sérgio Sousa, o crime foi previamente planejado e ele afirma que tanto a amante quanto o genro dela (suposto autor do assassinato) deram detalhes de como tudo aconteceu. O marido da vítima nega a participação.

A investigação apurou que o crime foi praticado por quatro pessoas, sendo três maiores de idade. Desses, o mentor intelectual e coordenador foi o marido da vítima, conforme afirma o delegado.

O crime

Na noite de 8 de abril, Mariane havia dito a uma colega de trabalho que ao fim do expediente por volta das 19h o marido iria buscá-la. Mas, segundo a polícia, uma mensagem enviada por ele momentos antes de ela desaparecer perguntava se Mariane iria para casa de Uber.

O delegado conta que a vítima acabou indo embora com a amante do marido dela e o genro da amante. As duas, segundo a polícia, eram amigas próximas e também vizinhas. Mariane foi no banco do passageiro, enquanto a amante conduzia o veículo e o genro da amante estaria no banco de trás, junto com um sobrinho.

A vítima teria sido morta com 27 golpes de faca na região do rosto e do pescoço. O responsável por esfaquear Mariane até a morte teria sido o genro, que já deu o primeiro golpe assim que ela entrou no carro.

Ainda segundo a polícia, o genro da amante receberia R$ 2,5 mil por cometer o crime planejado pelo marido da vítima e pela amante. Após a assassinarem, a amante e o genro teriam ido até Navegantes, amarrado o corpo e o jogado no Rio Itajaí-Açu, como tentativa de ocultar o crime. A caminho de casa eles teriam jogado a bolsa da vítima pela janela.

Após o crime, os envolvidos tentaram fugir por conta da repercussão do caso. A amante do marido e o genro dela pegaram um ônibus com destino a São Paulo e outro com destino a Recife (PE). Os dois suspeitos foram encontrados e capturados por policiais civis de Pernambuco.

O marido de Mariane estava escondido na casa de um outro pastor, no bairro Cordeiros, de acordo com o delegado. Mas, em depoimento ele nega ter participado do crime.

*Com informações do portal NSC Total.

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Online www.dm.com.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.

Leia também:

Comentários