Cidades

PCDF prende homem que matou e enterrou ex com ajuda do filho

Suspeito estava foragido e tentou fugir, mas foi preso em uma ação que contou com seis políciais

diario da manha

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu Cláudio da Silva Rosa, de 45 anos, que é suspeito pela morte de Franciele da Silva Moreira, de 22 anos, em Brazlândia. Ele foi levado a 18ª Delegacia de Polícia sob acusação de assassinato e ocultação de cadáver, crimes cometidos em 2016. As informações são do Metrópoles.

Cláudio Rosa cometeu o crime com ajuda do filho, Wilker da Silva Rosa, 25, que aguarda o julgamento em liberdade. Segundo as investigações, o suspeito não teria aceitado o término do relacionamento com a vítima.

A linha de investigação, inicialmente, tratava o caso como desaparecimento de pessoa. Mas, as apurações da 18ª DP apontaram que se tratava de um crime contra a vida. A vítima foi encontrada morta apenas em 2018. O corpo dela estava enterrado em uma área de campo, em Brazlândia.

Na época, as investigações cocluíram que Cláudio foi o autor do crime. Ele foi preso e conseguiu o benefício de responder o processo em liberdade. Porém, em 2020, teve a prisão preventiva decretada. O suspeito estava foragido desde o ano passado.

Os policiais da 18ª DP localizaram o suspeito em uma chácara de sua família, em Brazlândia, após um monitoramento de inteligência. A ação contou com seis agentes. Na abordagem, Claúdio ainda tentou resistir e fugir, mas foi contido e preso.O autor foi encaminhado à carceragem da PCDF.

Crime

A vítima foi morta em uma chácara, às margens da BR-080, em 4 de dezembro de 2016. Segundo a PCDF, Cláudio nutria um ciúme doentio por Franciele, que havia rompido o relacionamento.

O suspeito atraiu Franciele até sua casa e a matou no local, com requintes de crueldade. Na noite do crime, a vítima havia ido até o local para por um fim no relacionamento.

De acordo com as investigações, Claúdio premeditou o crime, usando, inclusive, telefones celulares com linhas compradas em nome de terceiros. Ele e o filho, que teve participação direta no caso, teriam levado o corpo, a moto que ela usava e todos os pertences da vítima para uma área isolada, às margens da DF-220, no sentido do Poço Azul, área rural de Brazlândia. 

Os objetos e o corpo da vítima enterrado no local. Segundo a polícia, Franciele já havia sido ameaça de morte pelo parceiro enquanto ainda estava no relacionamento. O filho de Cláudio, teria aceitado a proposta do pai de participar do assassinato principalmente devido ao ódio que nutria por Franciele.

O jovem, que é fruto de outro relacionamento de Claúdio, atribuia a Franciele a separação de seus pais. Por conta dessa rivalidade com a vítima, ele concordou, então, em executá-la, segundo as investigações.

tags:

Comentários