Cidades

Feriado contará com força-tarefa para evitar aglomerações em cidades turísticas de Goiás

Haverá reforço na fiscalização de rodovias e pontos turísticos, será efetuada ação conjunta com apoio da Goiás Turismo, prefeituras, Polícia Militar, Bombeiros e Ministério Público

diario da manha
Cidades turísticas de Goiás recebem força-tarefa para fiscalizar aglomerações — Foto: Reprodução

Com o intuito de impedir a propagação do coronavírus, nesta sexta-feira (9), uma força-tarefa inicia ações para evitar aglomerações em cidades turísticas de Goiás.

Isso devido ao feriado de Nossa Senhora Aparecida, celebrado na segunda-feira (12). Mais de 250 policiais devem participar da operação.

Equipes

As equipes vão garantir que protocolos de higiene e segurança sejam cumpridos, diferentemente do que foi visto em outros municípios.

 Entre as cidades em que haverá fiscalização estão Caldas Novas, Buriti Alegre, Aruanã, Britânia, Itacaiú, Aragarças, Luiz Alves, São Miguel do Araguaia, São José dos Bandeirantes, Pirenópolis, São Simão e Alto Paraíso de Goiás.

PRF

A Polícia Rodoviária Estadual deve intensificar o patrulhamento nas rodovias goianas. E o Batalhão Ambiental vai atuar em lagos e cachoeiras.

Barreiras serão montadas nas entradas das cidades para conter e fiscalizar a chegada de turistas, pois o acesso só será liberado para moradores ou para quem tiver reservas em hotéis.

Segundo presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, o envolvimento de todos os órgãos com as medidas preventivas da Covid-19 nos municípios terão êxito.

“Os turistas são bem-vindos ao Estado de Goiás, desde que respeitem os protocolos. O que pedimos encarecidamente a todos é que respeitem as reservas, não vão para os destinos sem ter reservas [em hotéis ou pousadas], não vão se aventurar. Nós ainda vivemos um momento muito preocupante”, disse Fabrício Amaral.

Operação

A operação deve ser realizada até a próxima terça-feira (13). A força-tarefa é resultado de uma parceria que envolve governo de Goiás, 20 prefeituras, Defensoria Pública, Ministério Público e Poder Judiciário.

*Com informações do G1 e Jornal Opção

Comentários