Cidades

Líder maçônico é investigado por denúncias de abusos sexuais

O Ministério Público investiga denúncias de abusos sexual e psicológico contra líder espiritual na Bahia

diario da manha
Jair Tércio / Foto: Reprodução

O líder espiritual, Jair Tércio Cunha Costa, de 63 anos, está sendo investigado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) por abuso sexual de mulheres. O órgão recebeu 14 denúncias de abusos sexual e psicológico contra o ex-grão-mestre maçônico. Jair Tércio, que é desenvolvedor de uma doutrina pedagógica estudada em retiros espirituais nega as acusações.

Uma das vítimas, Tatiana de Amorim Badaró, acusa o suspeito de praticar terrorismo psicológico e praticar abusos sexuais com ela de 2002 a 2014, “a partir daí eu perdi minha vida”. “Me sentia péssima após os estupros. Chegava em casa e vomitava”, relatou ela durante entrevista ao programa Fantástico.

Segundo Fabiano Pimentel, advogado do suspeito, para ele os relacionamentos eram amorosos. “Ele afirma que por ser um homem solteiro teve alguns relacionamentos amorosos, mas que em nenhum momento houve qualquer tipo de violência, seja psicológica ou física, a ensejar qualquer tipo de crime”. alega.

No entanto, de acordo com Fabiano seu cliente afirma que os relacionamentos foram consensuais e que Jair Tércio Jair Tércio nega as acusações pelas quais é investigado. Ele também foi apontado pelo crime de envolvimento com menores e estupro de vulneráveis.

A promotora de Justiça Gabriella Manssur, explica que a maior dificuldade em casos como este é a comprovação dos atos. “Se nos conseguimos reunir vários depoimentos, há provas de que esses fatos ocorreram”, afirma a promotora.

Em nota, a Grande Loja Maçônica da Bahia informou que suspendeu os direitos maçônicos de Jair Tércio. “A maçonaria não tem responsabilidade nenhuma com relação aos atos dessa pessoa”, dizia o comunicado.

*Com informações do G1 e IG.

Comentários