Cidades

Hospital de Hidrolândia é inaugurado, mas segue sem atender população

Moradores reclamam para imprensa falta de leitos anunciados em solenidade com políticos. Mesmo inaugurado, hospital segue em obras. Falta, por exemplo, lavanderia no local

diario da manha

Moradores cobram da Prefeitura de Hidrolândia o funcionamento do Hospital Municipal Douglas Faustino Machado inaugurado há mais de um mês e ainda sem realizar atendimentos. Populares reclamam que em plena pandemia a unidade foi “entregue” para a população através de grande festa de inauguração, no dia 21 de junho, com políticos do PSDB goiano, inclusive com a presença do prefeito Paulinho (PSDB), ex-governador Marconi Perillo (PSDB) e Alexandre Baldy (o ex-deputado federal goiano preso em operação da Lava Jato), deputado estadual Gustavo e ex-deputado Jardel Sebba.  

Conforme os hidrolandenses as obras iniciaram ainda em 2015. “A unidade é completamente ineficiente para o combate da covid-19, permanece fechada”, diz a moradora Maria Augusta Rocha.

Repórter da TV Record conversa com um dos integrantes da equipe que trabalha nas obras do hospital inaugurado sem ter condições de atender população de Hidrolândia (Foto: Reprodução)

Em reportagem da TV Record, veiculada no programa “Balanço Geral”, um morador disse que a cidade continua “pagando aluguel, que é despesa que vai e não volta” para garantir saúde, enquanto o hospital segue fechado. 

Por fora, a unidade aparenta estar pronta, mas construções atrás da unidade escondem um grupo de trabalhadores em obras numa futura lavanderia. Ou seja, a obra segue inacabada.

O hospital custou R$ 4,572 milhões para os moradores do município.

A secretária de Saúde de Hidrolândia, Rosenilda Rodrigues, diz que a burocracia impede a unidade de funcionar, mas afirma que nos próximos dias a estrutura de saúde do município deve ocupar o novo espaço.  

Comentários