Cidades

Vereador é filmado dizendo 'viva o coronavírus' durante festa

Vídeo mostra Thiago Maggioni (PSDB) no meio de um grupo de pessoas sem máscaras, de mãos dadas, dançando durante festa junina

diario da manha
Foto: Reprodução / TV Anhanguera

No último final de semana, o vereador Thiago Maggioni (PSDB) de Jataí foi flagrado em uma festa em uma fazenda localizada em Serranópolis (GO), no meio de um grupo de pessoas, sem máscara de proteção e dizendo “viva o coronavírus, meu povo”.

Na gravação, o membro da câmara legislativa de Jataí (GO), aparece narrando a quadrilha durante uma festa junina. É possível observar pelas imagens que nenhum dos integrantes da dança fazia o uso de máscara. Em dado momento Thiago Maggioni diz “viva o coronavírus”.

Por meio de uma nota, Thiago Maggioni confirmou sua participação no evento e pediu desculpas, “’saudei’ o coronavírus. Não acredito que ofendi ninguém”, dizia um trecho da retratação do parlamentar que argumentou que se tratava de uma brincadeira.

Fora da lei

Apesar de os participantes da festa não estarem fazendo o uso de máscaras, em Serranópolis o uso do acessório é obrigatório. A pena para quem for pego sem máscara fora de casa é de R$150 e o valor aumenta para R$ 250 caso o acessório de proteção esteja no bolso, na mão ou no pescoço da pessoa.

Além disso, recentemente foi publicado um decreto municipal que prevê multa no valor de R$ 1,5 mil, para aqueles que abrigarem eventos com aglomerações de pessoas. A Prefeitura de Serranópolis afirmou que o vereador e os demais participantes que tiverem infringido as normas do decreto, deverão ser multados.

Há cerca de dois anos atrás o vereador Thiago Maggioni, que cumpre seu segundo mandato em Jataí foi preso após ser flagrado dirigindo bêbado na BR-158.

Veja a nota do vereador publicada pelo portal G1:

Thiago Maggioni /Foto: Reprodução

Realmente participei de uma festa em uma propriedade rural próxima a Serranópolis. Na ocasião fui convidado para narrar a dança da quadrilha. Dança essa em que são feitas inúmeras brincadeiras, tais como os tradicionais gritos de “olha a cobra!” e “é mentira!”. Foi então que “saudei” o coronavírus. Não acredito que ofendi ninguém, porém, mesmo não concordando com o fechamento do comércio, mesmo sempre ajudando a saúde de Jataí, inclusive financeiramente, quero me desculpar com aqueles que se ofenderam pela brincadeira.

Comentários