Cidades

Apuração: MP investiga coronel da PM suspeito de usar a corporação em benefício próprio

Coronel da PM é investigado por suspeita de usar policiais e carros da corporação para escoltar carga participar até sua fazenda

diario da manha
Foto: Reprodução

Foi deflagrada uma operação pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), para investigar um coronel comandante da Polícia Militar (PM) em Formosa, no Entorno do Distrito Federal (DF). Sob suspeita de usar a estrutura da corporação em vantagem própria. Conforme as investigações, “valendo- se de sua condição”, ele solicitou viaturas e policiais para escoltar uma carga de 3 toneladas de farelo de soja e aveia até sua fazenda.

Segundo o site do G1, também é investigada a participação dele como contraventor suspeito de comandar o jogo do bicho na região. Um homem detido em flagrante durante a atuação, teria “negócios” com o coronel e o ajudado no transporte da carga. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

De acordo com a PM, quando tiver acesso a documentação tomará “todas as medidas legais cabíveis”. O coronel declarou a TV Anhanguera, que tem a “consciência tranquila”, e que não fez nada de errado.

Para o MP, o caso configura ato de improbidade administrativa, uma vez que ele usou a máquina pública em benefício próprio. Consta na apuração que a carga foi escoltada primeiro de São João D’Aliança para Formosa e, sequente para a fazenda do militar.

Seguem as investigações para descobrir qual a relação do comandante com o contraventor. “O envolvimento ou não do coronel com a prática do jogo do bicho ainda vai ser investigado pelo MP, que durante o transcurso das investigações, terão prosseguimento”, afirmou o promotor de justiça Douglas Chegury.

No transcurso da operação, nomeada Arca de Noé, o MP contou com o apoio da Polícia Civil (PC). Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na residência e na chácara do contraventor, onde foram recolhidos documentos e computadores. No lugar também foram apreendidas duas armas de fogo sem registro, o que ensejou a prisão em flagrante do bicheiro.

*Com informações do G1.

Comentários