Cidades

Proposta em Goiânia é para que o comércio permaneça aberto nos primeiros 14 dias

Reunião vai determinar como vai funcionar o isolamento intermitente em Goiânia

diario da manha
Foto: Reprodução

O prefeito Iris Rezende (MDB) foi o último a falar na reunião de segunda-feira (29), em que o governo determinou o isolamento intermitente na capital, inclusive afirmou que vai seguir a determinação do governo estadual.

Entretanto, para que a Prefeitura possa seguir o decreto estadual, pode publicar um novo decreto municipal a qualquer momento, impedindo por exemplo a abertura da Rua 44, que está prevista para ocorrer a partir das 9h da manhã.

Vale lembrar que embora o governo de Goiás tenha publicado o decreto com o isolamento intermitente, isso não quer dizer que as prefeituras tenham que seguir a decisão do Estado. Isso devido a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que dá essa prerrogativa aos governadores e prefeitos para determinar as ações para o enfrentamento da pandemia provocada pela Covid-19.

Como o prefeito afirmou na reunião de ontem que vai seguir a determinação do governo estadual, o mesmo precisa publicar um novo decreto municipal, todavia uma reunião está marcada com representantes do comércio, vereadores e o Comitê de Operações de Emergência de Saúde (COE) para determinar as ações da capital no enfrentamento a pandemia.

Entre as propostas que vão ser colocadas na reunião, uma é do presidente da Câmara Municipal de Goiânia, vereador Romário Policarpo (Patriota), vai propor que Goiânia adote as medidas do governo estadual, mas de uma forma diferente, que o comércio abra nesses primeiros 14 dias e feche nos outros 14 dias.

Comentários