Cidades

Polícia prende suspeito de envolvimento no desaparecimento de mulher no aeroporto de Goiânia

Lílian de Oliveira vista pela última vez no dia 13 de fevereiro, quando entrou em uma pick-up logo após chegar de uma temporada na Colômbia. O caso há suspeita de assassinato

diario da manha

O homem suspeito pelo desaparecimento de Lílian de Oliveira, de 40 anos, foi preso pela Polícia Civil na última quarta-feira (28/5). O caso veio a público em fevereiro deste ano.

Segundo informações da polícia, ela foi vista pela última vez no dia 13 de fevereiro no saguão do aeroporto Santa Genoveva de Goiânia, após desembarcar de uma viagem que partiu da Colômbia para o Brasil. Lílian, aparece nas imagens do circuito interno entrando em uma pick-up de cor prata. Desde então, ela nunca mais foi notada e há suspeita de assassinato.

A prisão do suspeito aconteceu em Buriticupu, região localizada no nordeste do estado a cerca de 400 km de São Luís, onde ele estava residindo após percorrer por diversos cantos do país. O suspeito teve a sua identidade preservada pela polícia.

O delegado de Buriticupu comunicou que as primeiras apurações do caso mostram que o suspeito não tinha relacionamento íntimo com a desaparecida, mas que o preso teve a escolha de permanecer em silêncio durante interrogatório. Ele foi conduzido ao sistema prisional e o caso ficará em responsabilidade da jurisdição da Polícia Civil de Goiás (PCGO), que investiga o desaparecimento.

Desparecimento de Lílian

Os entes queridos da vítima são de Caldas Novas, de Goiás, e reiteram que a última vez que ela visualizou seu perfil do WhatsApp foi no dia 13 de fevereiro, às 12h05.

“Nós mantínhamos contato direto com ela, todos os dias ela entrava em contato com a família. Quando não era agente, era ela. E logo após esse dia, a gente não consigo mais nenhum contato”, afirma Liliane de Oliveira, irmã da vítima.

Em março, a irmã de Lílian disse ainda que já escutou diversas versões que se desencontram a respeito do desaparecimento, mas sem nenhuma pista para polícia investigar.

“A família quer encontrar a Lílian de qualquer forma. Não interessa a circunstância que ela está”, pede a irmã.

*Com informações do G1


Comentários