Cidades

Fake News causa aglomeração em porta de igreja

O pastor confirmou mais de 1,8 mil pessoas no local, após boato que circulou por aplicativo de mensagens sobre suposta distribuição de alimentos

diario da manha
Foto: Reprodução/ TV Anhanguera

Fake news divulgada nesta última terça-feira (26), sobre distribuição de cestas básicas causou aglomeração de pessoas em frente a uma igreja evangélica, em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital. O alarde que circulou por aplicativo de mensagens, confirmava que alimentos básicos seriam distribuídos no local. Foi necessário a intervenção da Polícia Militar (PM) para dispersar os necessitados.

O fato ocorreu no setor Santa Cecília. E segundo o pastor da igreja cerca de 1,8 mil pessoas foram até o local após a divulgação nas mídias sociais. Para o pastor, houve tentativas de diálogos, mas sem consenso, e as pessoas permaneceram no local, sendo preciso a dispersão pelos policiais militares.

A mensagem veiculada dizia que a ação seria realizada pela Organização das Voluntárias de Goiás (OVG). Porém, o órgão informou que o bairro não está na lista de distribuição de cestas pelo governo.

Segundo a OVG, havia programação de entrega de cestas básicas em três bairros de Aparecida de Goiânia: Vila Maria, Nova Era e Terra Prometida. Durante o percurso a equipe de distribuição de donativos da Campanha de Combate ao Coronavírus se deparou com uma aglomeração de pessoas no setor Santa Cecília e descobriu sobre a circulação de uma notícia falsa, afirmando a entrega de cestas no local.

De acordo com a OVG, o órgão não divulga os locais com antecedência para evitar aglomeração. A entrega acontece de casa em casa. Um carro de som segue avisando aos moradores que a distribuição está sendo feita na rua.

Em quase dois meses de distribuição da Campanha de Combate a Propagação do Coronavírus, foi a primeira ocorrência de vazamento de Informações sobre o trajeto dos caminhões. O grupo não parou no local porque o bairro não estava na rota de entrega e todo o trabalho está sendo feito de forma a evitar aglomerações e o risco de proliferação pela Covid-19.

*Com informações do G1

Comentários