Cidades

Dj destaca heroísmo de seguranças durante tiroteio em Boate de Itumbiara

diario da manha
Foto: Reprodução

O DJ Renato Borges estava na Boate onde dois seguranças foram mortos a tiros no último final de semana, em Itumbiara, deu detalhes sobre o tiroteio que terminou com duas mortes e exaltou o heroísmo dos seguranças da casa de shows.

De acordo com o Dj que tocou entre às 2h e 4h da madrugada no dia do incidente “o suspeito queria sair com os copos de acrílico, personalizados da boate, mas a isto não é permitido pela boate”.

Para o Dj a arma usada no crime não estava dentro da casa de shows como algumas pessoas vem dizendo, uma vez que todos os frequentadores eram revistados pelo chefe da segurança ao entrar no estabelecimento. “Para mim, o suspeito, foi até o carro dele e pegou uma arma de calibre 9 milímetros, com pente estendido para 20 tiros”, conta o artista.

O Dj lembra que o primeiro tiro que atingiu o chefe da segurança, identificado como Jorge, foi na nuca e depois ele foi atingido no crânio, após cair com o primeiro disparo.

Após o chefe do segurança ser morto a tiros, o atirador conseguiu entrar novamente na boate. “O Elder que é o outro segurança visualizou uma arma, e gritou para todo mundo se abaixar, e em seguida gritou arma, arma, se abaixem! E ele me chamou pelo nome, pedindo para eu abaixar”, explica o Dj.

Foto: Dj Renato Borges/ Boate em Itumbiara momentos antes do tiroteio que matou dois seguranças

O artista afirmou a reportagem que nesse momento se jogou no chão e bateu a cabeça na quina da mesa de dj, caindo em com o rosto em cima de uma garrafa, que por sorte não quebrou. “Momentos depois eu ouvi o tiro que acertou o Elder, e ao observar a situação notei que sempre tinha um segurança na linha de tiro do suspeito, pois ele sempre mirava no público, mas a equipe de segurança foi simplesmente heroica, ao usar seus corpos como escudo humano para proteger as pessoas que estavam lá dentro”, narra.

Conforme as declarações do Dj, quem não estava usando o corpo como “escudo humano”, estava orientado as pessoas a ficarem abaixadas e a se protegerem, pois nenhum dos seguranças tinha distância para desarmar o suspeito.

Durante o tiroteio o artista afirmou que houve um período que os tiros cessaram, e que ele acredita que foi o momento que o suspeito usou para recarregar a arma, mas depois ouviu quatro ou cinco tiros. “O atirador não parece estar bêbado, e nem sob o efeito de drogas, mas me parecia ser muito frio, pois sempre tentava acertar um cliente, mas sempre havia um segurança para se colocar a frente da sua linha de tiro”, salienta.

De acordo com o Dj, o suspeito fugiu do local após o crime, e a equipe da boate trancou as portas e deu prioridade para socorrer os feridos durante o tiroteio.

Comentários