Cidades

Suspeitos decapitar e deixar cabeça na porta de Shopping vão a júri popular

diario da manha

Os cincos homens acusados de matar a tiros e decapitar Erivaldo Ferreira da Rocha, de 32 anos, com um serrote e abandonar a cabeça na porta de um shopping da capital vão a júri popular. Os cinco envolvidos foram denunciados, pois o crime foi uma maneira de atingir o irmão da vítima, que pertence a uma facção rival.

Vão ser julgados Denis Petterson Menezes, Edson Dener Menezes de Sousa, Luciano Martins da Fonseca, Matheus Máximo de Souza e Maurício Máximo de Souza Filhos.

O juiz Jesseir Coelho de Alcântara foi o responsável pela decisão que manda os acusados a júri. Durante o processo, foram feitas audiências públicas e todos os cinco negaram participação no crime.

Relembre o caso: cabeça humana é encontrada na porta de shopping de Goiânia

No dia 13 de janeiro de 2019 a cabeça de Erivaldo foi encontrada em frente a um shopping na Avenida Perimetral Norte. Além de abandonar a cabeça da vítima, os acusados escreveram na testa dele as siglas “TD2”, que é uma gíria para indicar tudo dois e significa tudo em paz.

O corpo de Erivaldo foi encontrado após quatro dias, boiando no Rio Meia Ponte. Os acusados respondem pelos crimes de homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e que impossibilitou a defesa da vítima.

*Com informações do G1

Comentários