Cidades

Suspeito de matar vizinho por som alto é preso durante depoimento

diario da manha

João Roberto Penna Pereira, de 35 anos, foi preso na última quinta-feira (2/1) enquanto prestava depoimento à Polícia Civil (PC), após ter sido filmado por câmeras de segurança de um prédio em Valpraíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal (DF) esfaqueando um vizinho por causa de uma briga por som alto no local.

A vítima identificada como Helenildo Alves dos Santos, de 37 anos, e o suspeito se desentenderam no último dia (29/12). Durante a confusão entre eles, que ocorreu no corredor de um prédio no Setor Parque Rio Branco, Helenildo foi esfaqueado diversas vezes, chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimento e morreu.

João chegou a se apresentar espontaneamente após o crime acompanhado de um advogado, no primeiro depoimento, o suspeito afirmou que agiu em legítima defesa. No segundo momento, a defesa de João afirmou que as imagens mostram que não há nenhum tipo de barulho alto e que a vítima sangrou por cerca de uma hora até a chegada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu). Conforme a publicação do G1, após esfaquear o vizinho, o suspeito também chamou o socorro médico para atender a vítima.

Após conseguir as imagens do sistema de monitoramento do prédio, o delegado responsável pelo caso, pediu a prisão preventiva de João Roberto, que foi atendida no dia 31 de dezembro, porém o mesmo só foi preso na tarde de ontem ao voltar a delegacia para prestar depoimento acompanhado de um advogado.

Vizinho conta que vítima alegou que estava incomodada com o som alto

Em seu depoimento João afirmou que Helenildo foi a sua residência por volta das 2h30 e tocou a campainha várias vezes, além de esmurrar a porta do apartamento. O rapaz afirmou que no momento estava em casa com a mulher e o filho do casal de apenas 6 anos. No depoimento ele alega que Helenildo havia quebrado a porta de tanto bater e que estava ali para resolver um problema, enquanto a vítima afirmou que estava sendo incomodada pelo som alto.

João afirmou ainda que foi agredido pela vítima com dois socos e que Helenildo ameaçou quebrar a sua casa. Conforme o delegado, as imagens gravadas pelo circuito de segurança do prédio não são conclusivas em relação a agressão sofrida pelo investigado.

O operador de escavadeira pediu que a esposa chamasse a Polícia Militar e em seguida pegou uma faca, com a qual esfaqueou Helenildo no braço e em seguida nas costas. Conforme o delegado do caso, as imagens do circuito de monitoramento do local mostram que Helenildo entrou no prédio e foi direto ao apartamento de João e, mostra que a reclamação por conta do som alto era recorrente de outros episódios envolvendo investigado e vítima.

*Com informações do G1

Comentários