Cidades

Portaria prevê possível suspensão de matrículas para turmas presenciais do EJA em Goiás

Entretanto, de acordo com a Seduc, desvios linguísticos conduziram uma má interpretação a cerca do que se trataria de uma ampliação do programa.

diario da manha
Foto reprodução

Na última quinta (02), a educação em Goiás passou por um momento de tensão quando a Secretaria de Educação (Seduc) divulgou uma portaria que suspenderia as matrículas no segundo semestre de 2019 para novas turmas presenciais do programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e paralelamente, permitiria a abertura de novas turmas apenas na modalidade à distância.

Ademais, no documento consta a justificativa de que a medida ocorre em virtude da reelaboração de políticas educacionais que configuram a modalidade de ensino presencial.

Consequentemente, a alteração restringe a constituição de turmas ao modo de Ensino à Distância (EAD). Como esperado, a drástica mudança no programa levantou debates e oposições de professores da rede estadual de ensino em suas redes sociais.

Em vista disso, profissionais da educação reiteram que, em certos casos, parte do público do EJA não possui habilidades ou aparelhos tecnológicos nas residências, problemática referente a democratização da educação e inclusão no processo ensino-aprendizagem.

O programa (EJA) permite que o aluno retome os estudos e os conclua em menos tempo

EJA define-se como uma modalidade inclusiva de ensino criada pelo Governo Federal que perpassa todos os níveis da Educação Básica do país, destinada aos jovens, adultos e idosos que por algum motivo não tiveram acesso à educação na escola convencional na idade apropriada.

O programa permite que o aluno retome os estudos e os conclua em menos tempo, dessa forma, possibilita sua qualificação e acesso ao conteúdo ministrado referente as várias áreas do conhecimento.

De acordo com uma professora da rede estadual de ensino, a maioria dos alunos do EJA não têm acesso a computadores em casa, não possuem internet e não detém de conhecimentos tecnológicos suficientes. “Nem mesmo as escolas têm uma rede boa e computadores suficientes”, afirma.

Por outro lado, a Seduc  informa “que erros de ortografia podem ter ocasionado o mal entendido em relação à portaria”. Diante disso, apenas serão suspensas as turmas em alguns colégios, justificam, tendo em vista que o contrato para oferecer a modalidade teria chegado ao fim.

A secretaria ainda sustenta que turmas não serão suspensas, pelo contrario, haverá uma ampliação quanto às modalidades de ensino, que além de serem presenciais, passarão também a ser à distância.

Comentários