Brasil

Mãe de Henry Borel pediu para babá mentir para a polícia

Thyaná revelou ainda que a empregada da casa também mentiu em seu primeiro depoimento

diario da manha
Foto: Reprodução

Em um novo depoimento, Thayná Oliveira, babá do pequeno Henry Borel, revelou que a mãe do menino, Monique de Medeiros pediu para que ela mentisse para a polícia. A revelação foi feita durante um novo depoimento feito pela babá aos investigadores do caso.

A babá informou à polícia que a empregada da casa, Leila Rosângela, conhecida como Rose, também mentiu em seu depoimento. De acordo com as declarações, e as investigações da polícia, no dia 12 de fevereiro, Dr. Jairinho agrediu Henry no final da tarde, momento que tanto a babá quanto a emprega da casa estavam na residência.

Thayná revelou que foi naquele dia que enviou mensagens à mãe do menino, e explicando o ocorrido, inclusive sobre as agressões de Dr. Jairinho ao menino, e que foram narradas por Henry, depois que o padrasto saiu do quarto.

A mãe de Henry, Monique levou o pequeno no dia 13, para o Real D’Or, uma unidade pediátrica em Bangu, que fica na Zona Oeste da cidade, para que ele fosse atendido.

De acordo com as investigações da polícia, em nenhum momento, foi mencionada a ida de Henry ao hospital nos depoimentos anteriores da babá, da mãe do menino, Monique ou de Jairinho.

Henry Borel morreu no dia 8 de março deste ano

Henry Borel morreu no dia 8 de março, e chegou a uma unidade de saúde do Rio de Janeiro já sem vida. No início das investigações, o casal apontou que o menino teria sofrido o acidente, e que a morte dele teria sido ocasionada em função disto.

No entanto a versão apresentada pelo casal não convenceu a polícia, uma vez que tanto mãe quanto padrasto do garoto, não compareceram para a reconstituição da cena. Durante as investigações, eles tentaram impedir o trabalho da polícia, mas sem sucesso.

Um mês após a morte do garoto, Dr. Jairinho e a mãe de Henry foram presos suspeitos do crime. A prisão dos dois se deu na sexta-feira, 9, e os dois se encontram isolados no presídio nesse momento, devido a pandemia da Covid-19.

*Com informações do G1

Leia também:

Comentários